Shingeki no Kyojin 2 – Primeiras Impressões

O primeiro episódio

Logo após a visceral luta entre o Titã Fêmea e Eren, também em modo Titã, a divisão de exploração não tem descanso e precisa lidar com uma nova ameaça. Dessa vez os titãs conseguiram invadir a muralha Rose e entre eles surge um surpreendente novo “tipo” de titã.

>> Confira nossas primeiras impressões de outros animes dessa temporada no Guia de Primeiras Impressões dos ANIMES DE PRIMAVERA 2017


Nossas impressões

Denys Almeida – Gyabbo!

Nota: 4

Em quatro anos muita coisa muda. Times consagrados perdem a moral, governos são depostos e aquilo que gostávamos pode não ter mais o mesmo efeito que antes. Depois do sucesso estrondoso que Shingeki no Kyojin fez não somente no Japão, mas também no ocidente, será que uma segunda temporada com apenas 12 episódios conseguirá repetir a dose? Se o primeiro episódio for a medida-ouro dessa nova leva podemos ter certeza que sim!

O primeiro – e possivelmente o mais importante – ponto a ser ressaltado aqui é sobre a produção dessa segunda temporada. O sucesso da série não seu deu apenas por causa dos seus variados plot twists exagerados, mas principalmente pelo valor de produção criada pelo Wit Studio, sabendo criar a atmosfera perfeita para a história mediana que tinham em mãos. Errar o tom depois de tanto tempo não seria exatamente inesperado, mas esse primeiro episódio deu a sensação de que esse hiato não aconteceu.

Outra questão era justamente saber recuperar o ritmo, tão frenético nos últimos episódios em 2013. Assim, a direção tratou de ajustar bem as informações necessárias para relembrar o espectador mais desavisado com novas cenas de ação e gore, marcas da franquia, já estabelecendo um novo mistério à lista nada pequena ser resolvida posteriormente.

Agora a responsabilidade recai sobre Isayama Hajime, autor do manga original. Mesmo a melhor produção do mundo tem seus limites. Sem uma boa e bem resolvida história nada pode ser feito.


Wagner Nunes – Troca Equivalente

Shingeki no Kyojin S2

Nota: 4

Foram 4 anos de espera, mas posso afirmar que por enquanto valeu a pena! A segunda temporada começa em um ritmo frenético! Tudo bem que pouca coisa é explica sobre a grande revelação do final da temporada passada, mas achei acertada a preferência pela ação e apresentação de um novo e enigmático personagem (que parece ser muito importante para toda a trama).

É obvio que eu gostaria de mais explicações sobre o titã dentro da muralha, mas se você parar pra pensar já tivemos mais respostas, ficou claro que eles podem acordar, então devem estar cristalizados assim como a titã fêmea. E fica subentendido que todas as muralhas são feitas de titãs, o que já explica a existências delas e como pessoas com tecnologia pouco avançada conseguiram as construir. Agora a dúvida que fica no ar é como enfileiraram titãs para criar as muralhas? E quem foi capaz dessa proeza?

Nem só de questionamentos foi feito esse primeiro episódio, foi bem interessante ver a dinâmica dos novos acontecimentos, que na verdade estavam acontecendo em paralelo ao ataque do titã fêmea. Todo o arco final da temporada passada e esse começo da segunda parecem ter sido uma ação planeja dos titãs, encabeçada pelo enigmático titã com aparência de macaco que é apresentado nesse episódio. Ele sem dúvida nenhuma rouba a cena, não só pela sua imponência, mas também por ser um titã bem diferente dos demais, principalmente no aspecto da inteligência e da fala. Com certeza ele sabe muito dos porquês desse mundo e deve ser peça chave para revelações importantes. Estou bem empolgado para descobrir mais sobre ele.

Outro ponto positivo foi o foco em personagens secundários, tirando bastante da importância de Eren, Mikasa e Armin nesse primeiro episódio. Uma das coisas que gostava na primeira temporada era justamente como os outros personagens também eram bem trabalhados, não é uma história que foca apenas nas ações do Eren, até porque na minha opinião o verdadeiro protagonista da história é aquele universo ficcional cheio de mistérios.

Nos aspectos técnicos a série voltou ainda melhor que em 2013, a animação está caprichada, o trabalho dos dubladores continua ótimo e a direção segue acertando no ritmo da narrativa. Minha reclamação fica apenas para as músicas de abertura e encerramento, que ficam abaixo das canções já clássicas da primeira temporada. Mas até entendo que seria difícil superar a expectativa nesse quesito, foi mal ai Revo.

    Textos publicados por vários autores