Guia Fate/ para iniciantes

Olá! Meu nome é Guilherme Lemos e hoje irei introduzir a vocês a franquia Fate/. É uma franquia que exige bastante atenção e comprometimento, já que a maioria de seu material é em texto, porém,  existem diversos animes, jogos e mangás, o que pode tornar um pouco confusa o entendimento de sua cronologia, mas não se preocupe. Confira um guia completo de todas as obras feitas até o momento.

É uma franquia que causa muita discussão: Quem é mais forte? quem venceria quem? Como funciona as mecânicas do universo da Type-Moon? Inicialmente irei apresentar um pouco do grupo que criou Fate/ e outras obras. Curiosamente, começou com dois caras e se transformou numa gigante no mercado atual. Então vamos lá!

Sobre a Type-Moon:

Type-Moon
Logo da Empresa.

É uma companhia que iniciou sua jornada no mercado de jogos, mais precisamente Visual Novels. De início lançou Tsukihime como um doujin, ou seja, de forma independente. Mais tarde, com o lançamento de Fate/Stay Night, alcançou uma grande fama ao redor do planeta, com adaptações para anime e mangá, sendo licenciados em diversos países, até mesmo o Brasil.

 Kara no Kyoukai
Capa de Kara no Kyoukai, na imagem, Shiki Ryougi.

A Type-Moon tem duas pessoas chaves: Takashi Takeuchi (artista) e Nasu Kinoko (escritor), que em outubro de 1998, lançaram a novel (romance) Kara no Kyoukai. Já em 2000, foi lançado o eroge Tsukihime, que foi muito bem recebido por ser mais do que apenas um eroge, e sim várias ótimas histórias, tudo isso em apenas um jogo. Em 2003 chega à primeira adaptação em anime de alguma obra da Type-Moon, Shingetsutan Tsukihime pela J.C. Staff, e paralelamente, sendo publicado pela Geneon, um mangá de mesmo nome que começou a ser publicado em 2004.

Melty Blood ReACT

Capa de Melty Blood ReACT, com Len, Satsuki, Arcueid e Sion.

Algumas pequenas sequências de Tsukihime foram lançadas, focadas em comédia e slice of life, deixando a história mais séria para trás. Em 2002, em parceria com a French-Bread, também é lançado um jogo de luta chamado Melty Blood, que se passa após alguns meses de Tsukihime. Conta com novos personagens, uma trama totalmente nova, expandindo ainda mais o universo da obra. Vale citar que, mesmo sendo um jogo de luta, ainda mantem sua característica de visual novel. Foram lançadas algumas sequências e expansões (ReACT Final Tuned, Act Cadenza, Act Cadenza B) para algumas plataformas como Arcade, PC e PS2.

Melty Blood ReACT
Capa de Melty Blood ReACT, com Len, Satsuki, Arcueid e Sion.

Mas um marco importantíssimo na história da Type-Moon foi o ano de 2004, em que aconteceu a transição de doujin para uma empresa comercial, com o também eroge para Pc, sua obra mais conhecida Fate/stay night. Uma adaptação em anime foi feita em 2006 e uma versão em mangá em 2005 na revista Shonen Ace. Uma sequência nos moldes de Tsukihime (sequência sem uma rota definida), chamada Fate/hollow ataraxia, foi lançada em 2005.

Nesse guia, irei usar três etapas de cada obra. A primeira falando um pouco da ficha técnica da obra, com suas adaptações, junto de sua plataforma original. A segunda etapa é uma sinopse, falando de uma maneira simples sobre o que se trata a obra. A terceira e última etapa será o que eu, autor desse guia achei da obra. Vale lembrar que em alguns casos, poderá faltar essa última etapa, pois ainda não conheço a fundo para transmitir minha opinião.

Fate/stay night

Capa da versão Réalta Nua para PlayStation 2. Shirou no centro acima, embaixo, Rin Tohsaka, Saber e Sakura Matou.
Capa da versão Réalta Nua para PlayStation 2. Shirou no centro acima, embaixo, Rin Tohsaka, Saber e Sakura Matou.

O maior sucesso da empresa, lançado em 2004, como o primeiro trabalho comercial da Type-Moon, inicialmente para PC, na forma de um eroge. Em 2007 foi retirado do jogo a versão Réalta Nua para PlayStation 2.

Sendo adaptados para anime e mangá, ambos seguindo a rota Fate da visual novel. A versão em mangá começou a ser serializada no ano de 2005 até 2012 na revista Shonen Ace, desenhada pelo mangaká Datto Nishiwaki, completada com 20 volumes. É bem criticada por tentar fundir elementos das três rotas principais, mas acabou por manter o foco na primeira rota, Fate.

Capa do primeiro volume japonês do mangá.
Capa do primeiro volume japonês do mangá.

Já a versão em anime, foi adaptada no ano de 2006, pelo Studio Deen, com 24 episódios. E em 2010, foi adaptada em um filme a rota Unlimited Blade Works, com a mesma equipe da adaptação para a TV. Vale lembrar que esse anime foi exibido no Brasil, no falecido canal Animax, no ano de 2009.

Capa da versão americana do filme Unlimited BladeWorks.
Capa da versão americana do filme Unlimited BladeWorks.

Mas sobre o que se trata Fate/stay night?

Nos últimos 200 anos, uma guerra secreta entre magos está acontecendo aos arredores da cidade de Fuyuki. Sete magos lutam entre si, com o apoio de servos que são invocados para conseguir o Santo Graal, que dizem ser capaz de realizar desejos. Essas guerras, chamadas de Guerras do Santo Graal, geralmente ocorrem em espaços de tempo de em média de 60 anos.

Cartas das classes.
Cartas das classes.

Os sete magos, chamados de Mestres, invocam cada um deles, um Servo, que são reencarnações de almas lendárias desde o início dos tempos, chamado de Espíritos Heroicos, que possuem habilidades sobre humanas, armas ou habilidades especiais, as chamadas Noble Phantasms. Para invocar um servo, é preciso de um catalisador, que pode ser tanto um item pertencente a ele, idéias ou experiências similares com seus Mestres. Cada servo pode ser invocado em uma das sete classes de servos: Saber, Archer, Lancer, Berserker, Rider, Assassin, e Caster.

Command Seals de Fate/Zero.
Command Seals de Fate/Zero.

Cada Mestre recebe três Command Seals, que são símbolos que se manifestam no corpo do Mestre. Esses símbolos possuem o poder de dar uma ordem muito intensa, onde os Servos precisam obedecer, mesmo sem concordar ou aceitar. Todo esse confronto é guiado pela Igreja, uma organização que ajuda a esconder os acontecimentos da guerra do grande público.

Até aí, foi explicado algumas mecânicas da história, mas agora falarei sobre o protagonista, Shirou, um estudante que dez anos atrás sofreu com um incêndio misterioso na cidade e perdeu toda sua família, prestes a morrer, é salvo por Kiritsugu Emiya, que vira o seu pai adotivo. Shirou Emiya descobre que Kiritsugu é um mago, e que seu pai biológico tinha o desejo de ser um herói que ajudaria todos.

Shirou acaba por dizer a Kiritsugu que ele seria um herói. Com a determinação de seu filho adotivo, Kiritsugu decide ensinar magia a Shirou, mas infelizmente ele não possui talento para tal.

Protagonista de Fate/stay night, Shirou Emiya.
Protagonista de Fate/stay night, Shirou Emiya.

Após voltar da limpeza da área de arquerismo da escola, Shirou testemunha dois servos lutarem, e como é a regra, civis que testemunharem a presença secreta dos servos, devem morrer. Então Lancer, perfura Shirou no coração com sua lança, e por alguma razão, Rin Tohsaka acaba por usar a magia para ressuscitar Shirou, que assustado pelos acontecimentos volta pra casa.

Lá é atacado novamente por Lancer, mesmo tentando se defender, repara o quão forte ele é. Prestes a levar o golpe final, uma jovem mulher em armadura bloqueia o ataque e se apresenta como Saber. “Você é meu mestre?” pergunta a Shirou.

 

Saber aparece para Shirou pela primeira vez. Imagem retirada do jogo Unlimited Codes.

Saber aparece para Shirou pela primeira vez. Imagem retirada do jogo Unlimited Codes.

E assim começa Fate/stay night. 

Considerações pessoais

É minha favorita de todas as obras de Fate/ como sendo inicialmente uma Visual Novel. Adaptações para anime e mangá acabam por nunca fazer jus ao que stay night realmente é. Por motivos de adaptar algo bem extenso, fora o limite de tempo dos episódios, que contam com 23 minutos, e as temporadas de 24 episódios, acabam perdendo vários aspectos que a obra original tem.

Basicamente temos três rotas e diversos finais espalhados pela VN. As três rotas são Fate, Unlimited Blade Works e Heaven’s Feel, cada um com uma heroína diferente e uma abordagem diferente da Guerra.

Infelizmente as adaptações pegam como base a rota que acho a mais fraca, que é a rota Fate, deixando uma adaptação em filme para Unlimited Blade Works, que foi bem compactado por questões de tempo, já que adaptar algo extenso em um filme de uma hora e meia é bem complicado, porém a animação do filme está muito melhor, até por ter mais investimento  envolvido em sua produção.

Minha rota favorita com total certeza é a Heaven’s Feel, que eu vejo do andar dos eventos e uma evolução dos personagens em um nível totalmente diferente das rotas anteriores, fechando finalmente o que realmente é uma das características da franquia Fate, dor e sofrimento.

Ilustração abordando a rota Heaven’s Feel da versão Réalta Nua.
Ilustração abordando a rota Heaven’s Feel da versão Réalta Nua.

Agora falando um pouco do anime de 2006: PÉSSIMO, HORROROSO, MEDÍOCRE, PELO AMOR DE DEUS, NÃO ASSISTA ESSE ANIME!

13Por quais motivos você não deve assistir? Primeiro pela animação, que é bem meia boca, depois pela mutilação do protagonista Shirou, que por ser proveniente de uma VN, não temos acessos aos seus pensamentos internos numa versão animada, nos deixando a impressão que ele é mais idiota que já é.

A versão dublada tem alguns problemas, como traduções de nomes próprios, alteração de nome de classes (Berserker foi para Viking), deixando o resultado final, que já não era bom, em algo pior ainda.

Mas a versão animada não tem só aspectos negativos. A trilha sonora composta por Kenji Kawai é muito boa e pega bem vários aspectos da visual novel, e claro, as characters songs, singles com os dubladores cantando músicas relacionadas à obra, no total foram oito singles, cada um com três músicas cada.

Sobre a versão mangá, tenho alguns problemas com ela. Também adaptando Fate, mas no meio do mangá, inseriu alguns elementos de outras rotas,. No final voltou para a rota principal, Fate, deixando os elementos abordados anteriormente em aberto. Isso acabou prejudicando o que poderia ser uma experiência diferente, não sendo apenas uma transcrição dos eventos do anime ou da VN e sim uma visão mais autoral, usando personagens de maneiras diferentes, não sendo uma simples adaptação para outra mídia. A própria arte do mangá tem uma queda notável de qualidade se comparar o começo e o final como na imagem abaixo. 

14

Então, qual das mídias deve se consumir? Com total certeza e unanimidade, a visual novel Fate/stay night é o ideal. Histórias completas e sem mutilações, trilha sonora inesquecível, arte aceitável, e tem tudo que você deseja: comédia, cenas de ação, suspense, drama, romance. São mais de 50 horas para completar a VN, quarenta finais ruins, onde você pode morrer se não tomar a decisão correta, cinco finais diferentes, três histórias principais, tudo isso num só lugar.

Totalmente completo.
Totalmente completo.

Caso você já tenha assistido a versão animada e gostou, tenho total convicção que você também irá gostar da VN, pois com o anime você comeu um cupcake amassado no fundo da sua mochila, agora com a VN, você comerá um bolo de casamento feito pelo chef francês mais renomado do mundo.

Fate/Zero

Prequel de Fate/stay night, é uma light novel escrita por Gen Urobuchi com ajuda do Kinoko Nasu e ilustrada por Takashi Takeuchi, lançada em 2006, completas em quatro volumes.

Capa do primeiro volume de Zero.
Capa do primeiro volume de Zero.

Inicialmente a primeira adaptação de Fate/Zero foi para Drama CDs, entre 2008 e 2010. Também em 2010, se iniciou a adaptação em mangá serializada na revista Young Ace, desenhada por Shinjirou, que até o presente momento, conta com sete volumes em andamento. Em 2011, a sua adaptação para anime, pelo estúdio ufotable iniciou com uma primeira temporada com 13 episódios e em 2012, uma segunda temporada com 12 episódios, totalizando 25 episódios no total, tendo uma trilha sonora feita pela incrível Yuki Kajiura.

Mas sobre o que se trata Fate/Zero?

Capa do primeiro volume do mangá de Zero.
Capa do primeiro volume do mangá de Zero.

É uma prequel de Fate/stay night, que trata da Quinta Guerra do Santo Graal, em Zero é abordada a Quarta Guerra, onde frutos do que acontece em stay night foram inicialmente plantados.

É a mesma estrutura de Servos, Mestres, espíritos heroicos de stay night, com Mestres e Servos diferentes, o protagonista da história é Kiritsugu Emiya, um mago que é contratado pela família dos Einzberns para vencer a guerra. Enquanto isso Kirei Kotomine, um executor da Igreja entra na guerra por ordens de seu pai para ajudar um aliado, Tokiomi Tohsaka a vencer a guerra.

Considerações pessoais

Li tanto a Novel quanto assisti o anime e, as duas são ótimas obras, porém, no entanto o pacing das duas é bem lento nos dois primeiros volumes e na primeira temporada, mas na metade seguinte, isso deixa de ser um problema, pois assim conforme a história avança, os acontecimentos da Quarta Guerra do Graal se manifestam, deixando aquele marasmo da primeira parte para trás, agora é pancada atrás de pancada, sem te deixar tempo para pensar, claro, dor e sofrimento se intensificam também.

Kiritsugu Emiya e Kirei Kotomine.
Kiritsugu Emiya e Kirei Kotomine.

Comparando a obra original e a versão em anime, pouquíssimos elementos insignificantes foram alterados, deixando bem próximo da obra original. A animação também está muito melhor, se comparar a versão animada em 2006 do Studio Deen, deixando bem claro, qual tem uma melhor animação.

Agora, um assunto que realmente deveria ser tratado: Qual é a ordem que se deve assistir? Zero ou stay night? Mesmo sendo cronologicamente anterior, Zero é indicado que seja assistido depois, pois tem diversos spoilers de stay night. É sempre preferível colocar a ordem de lançamento sobre a ordem cronológica.

Também é importante salientar que uma pessoa que gosta de Zero, não necessariamente irá gostar de stay night, ainda mais os que conheceram apenas pelo anime e assistiram Zero primeiro. Enquanto temos romance e vida escolar em stay night, isso é praticamente nulo em Zero, focando em personagens já adultos e com uma abordagem mais séria.

A novel e o anime, ambos são de ótima qualidade, agora se você tiver menos tempo, recomendo o anime se quiser uma leitura e entender as motivações e as explicações, recomendo a Novel. Já o mangá de Zero, é bem fraco no quesito de arte, não recomendo que seja lido, a não ser que queira uma nova visão dos eventos, só li até o terceiro volume e não me pareceu inovar muito, sendo apenas o mais do mesmo.

Fate/hollow ataraxia

Imagem promocional da nova versão de hollow ataraxia. Ao fundo Lancer, seguido de Archer e Saber e na frente, temos o novo Servo, Avenger.
Imagem promocional da nova versão de hollow ataraxia. Ao fundo Lancer, seguido de Archer e Saber e na frente, temos o novo Servo, Avenger.

Sequência de Fate/stay night, lançada em 2005 para PC e será relançada em 2014 para PSVITA com vozes completas. Não é sequência de nenhuma rota específica e sim de uma rota qualquer, onde a maioria dos personagens voltam a vida.

Existe uma adaptação em mangá ilustrado pelo mangaká Medori iniciada em 2013, serializada em 2013 na revista Shonen Ace com um volume até o presente momento.

Mas sobre o que se trata Fate/hollow ataraxia?

Se passa seis meses após o final da Guerra, em que Bazett Fraga McRemitz, uma das Mestres da Quinta Guerra acorda no quarto dia de guerra, com um novo Servo de classe Avenger, sem memórias do que aconteceu com ela anteriormente, ela e Avenger decidem lutar e vencer a Guerra do Santo Graal.

Capa do primeiro volume do mangá Fate/hollow ataraxia.
Capa do primeiro volume do mangá Fate/hollow ataraxia.

Enquanto isso Shirou vive tranquilamente com seus amigos, um momento estranho, já que os mortos na Quinta Guerra voltam à vida, Mestres e Servos, Rin Tohsaka decide ir até a Associação de Magos na Inglaterra investigar o que aconteceu. Os Servos sentem um perigo se aproximando, e criaturas das trevas surgem, atacando quem quer que seja. Shirou para proteger seus amigos, acaba por encontrar por diversas vezes, uma garota misteriosa, Caren Hortensia.

Bazett Fraga McRemitz e Avenger.
Bazett Fraga McRemitz e Avenger.

Bazett e Shirou acabam se encontrando num time loop que dura quatro dias, começando no quarto dia de guerra, cada vez que eles morrem ou sobrevivem os quatro dias, eles acordam no quarto dia. Para encerrar essa repetição, Bazett, Avenger e Shirou devem desvendar o mistério por de trás dessas repetições.

Além da história principal, ao decorrer do jogo, é possível abrir pequenas histórias de caráter humorístico ou até mesmo erótico com outros personagens, além de diversos minigames, um deles que virá com a nova versão de 2014, sendo uma espécie de Tower Defense com personagens de diversas obras da franquia Fate.

Novo minigame no estilo Tower Defense.
Novo minigame no estilo Tower Defense.

Considerações pessoais

Como ainda não li essa história, fica difícil falar sobre, acho que é mais um bônus, pra quem leu Fate/stay night e realmente gostou da história, tem novos personagens e trata um pouco do meu Servo favorito, claro que a vontade de jogar é imensa.

Fate/Kaleid Liner Prisma Illya

Illya em sua forma mahou shoujo, com Miyu a sua direita, e Rin e Luvia abaixo.
Illya em sua forma mahou shoujo, com Miyu a sua direita, e Rin e Luvia abaixo.
Capa do segundo volume de Fate/Kaleid Liner Prisma Illya 2wei!, com Irisviel, Illya e Kuro.
Capa do segundo volume de Fate/Kaleid Liner Prisma Illya 2wei!, com Irisviel, Illya e Kuro.

Mangá com um universo alternativo de Fate/stay night, de autoria de Hiroshi Hiroyama, com dois volumes completos, foi serializado na revista Comp Ace em 2008. Recebeu duas sequências, Fate/Kaleid Liner Prisma Illya 2wei! Com cinco volumes completos, e Fate/Kaleid Liner Prisma Illya 3rei!! Com quatro volumes até o momento.

Uma adaptação em anime foi lançada em 2013, com 10 episódios e produzido pelo estúdio Silver Link, a segunda temporada está confirmada para a temporada de verão japonesa.

Mas sobre o que se trata Fate/Kaleid Liner Prisma Illya?

Kaleido stick Ruby.
Kaleido stick Ruby.

Um mangá que se passa em um universo alternativo a Fate/stay night, em que a personagem Illyasviel von Einzbern é uma garotinha comum que frequenta a escola, até que acaba entrando dentro de uma briga entre Rin Tohsaka e Luviagelita Edelfelt. O Resultado disso? Illya acaba encontrando Ruby, uma varinha mágica que faz ela se tornar em uma Mahou Shoujo, no mesmo feeling de Sakura Card Carptors.

No primeiro arco, Illya, a aprendiz da Rin e Miyu, a aprendiz da Luvia, devem recuperar as Class Cards, lutando com versões corrompidas dos Servos das cartas.

Considerações pessoais

É essencial conhecer principalmente Fate/stay night para assistir e entender as piadas, em outros níveis também é bom conhecer Zero e hollow ataraxia, já que alguns personagens recorrentes a essas obras são personagens da obra, como Irisviel von Einzbern e Bazett Fraga McRemitz. Inicialmente na primeira série e na metade da segunda série, o ponto forte é a comédia e as referências e piadas internas, na segunda metade do 2wei e 3rei, o autor começa a mostrar para que veio e nos mostra o quão sério pode um Mahou Shoujo chegar, com momentos e combates muito bem bolados, ainda mais no universo da Type-Moon.

Só recomendo para os MAIS FÃS, se você realmente gosta dos personagens e quer mais, adora um fan service aqui e acolá, e lolis, muitas lolis. É um prato cheio pra quem quer dar uma boa risada e se divertir com um mangá. Além de ser um mahou shoujo bem competente, é com certeza um dos meus mangás favoritos de Fate.

Fate/strange fake

É uma pequena novel escrita por Ryohgo Narita (Durarara e Bacanno) como uma brincadeira de primeiro de abril da Type-Moon. Começou como um prólogo de uma Guerra do Graal, que se passa após a Quinta Guerra, depois acabou sendo publicado na revista TYPE-MOON Ace, com ilustrações de Shidzuki Morii.

Mas sobre o que se trata Fate/strange fake?

Ilustração de strange fake.
Ilustração de strange fake.

Dessa vez, o cenário é uma cidade suburbana, no oeste dos Estados Unidos, Snowfield, próxima a Las Vegas. Por muito tempo, indígenas habitaram a área, até que o governo e alguns magos prepararam para começar uma Falsa Guerra do Santo Graal. Essa cópia da Terceira Guerra do Graal surgiu após um grupo de magos separados da Associação de Magos de Londres, decidem planejar sua própria Guerra. Alguns problemas foram encontrados, como a ausência da classe Saber, e estranhos Servos, que não eram exatamente Espíritos Heroicos. Sendo assim, a Associação de Magos, envia seus agentes, assim como o governo dos Estados Unidos, para monitorar essa Falsa Guerra.

Considerações pessoais

Uma de minhas tristezas é não poder ver esse trabalho ser desenvolvido, é apenas um “volume”, já que nem ser encadernado ele foi. Foi meu primeiro contato com o estilo de escrever do Narita, e cara, ele escreve muito bem. Poder ver a relação de dois personagens chaves na franquia de Fate ser um pouco mais desenvolvido é ótimo.

Essa novel poderia ser considerada a mesma coisa que um Ecchi, por não ser desenvolvida, mesmo sendo fantástica, ela chega QUASE LÁ, mas não chega. Só recomendo pra quem quer conhecer mais de Fate, e saber que ficará triste por não continuar a leitura.

Fate/Unlimited Codes

Capa de Fate/Unlimited Codes para PlayStation 2.
Capa de Fate/Unlimited Codes para PlayStation 2.

É um jogo de luta desenvolvido pela Cavia e Eighting e distribuído pela Capcom. Contem principalmente personagens de Fate/stay night e alguns de Zero e hollow ataraxia.

Foi lançado para arcades em 2008 e mais tarde no mesmo ano para PlayStation 2. Em 2009 foi lançado para PSP, seguido de lançamento internacional na Europa e nos Estados Unidos.

Mas sobre o que se trata Fate/Unlimited Codes?

É um jogo de luta em 3D, que trata os eventos da Quinta Guerra do Graal de acordo com a visão do personagem que se usa, vários finais podem acontecer de acordo com os eventos, alguns ruins, outros bons e alguns até neutros. Existem também alguns mini games e alguns objetivos para completar além do modo estória. As ilustrações do jogo são feitas pelo Takashi Takeuchi e as histórias escritas pelo Kinoko Nasu.

Considerações pessoais

Não sou um grande jogador de jogos de luta, provavelmente esse jogo tem diversas falhas e tal, mas eu AMO esse jogo, quando estou escutando um podcast, adoro jogar, fazer combos com personagens da série que você gosta é uma sensação muito boa, é extremamente divertido, recomendo bastante. Até mesmo os mini games são divertidos, uma pena eu não ter muita coordenação para brincar com o modo missão.

Fate/Apocrypha

É uma série de Light novels escrita por Yuichiro Higashide e ilustrada por Ototsugu Konoe, o primeiro volume foi lançado no final de 2012, e o quarto volume foi lançado em 2014, a previsão era de ser apenas quatro volumes, mas foi decidido uma expansão para cinco volumes.

Mas sobre o que se trata Fate/Apocrypha?

Capa do segundo volume de Apocrypha.
Capa do segundo volume de Apocrypha.

Num mundo paralelo ao de Fate/stay night, onde o Grande Graal foi removido de Fuyuki após a Terceira Guerra do Santo Graal, durante os anos 2000, um grupo de magos, os Yggdmillennia, declaram a separação da Associação de Magos e que eles possuem o Graal, a Associação após essa notícia, envia cinco magos para recuperar o Graal. Só não contavam que um Servo, Lancer of Black atacasse eles e só sobrasse um membro da associação, esse membro restante acaba por ativar o sistema de reserva do Grande Graal e 14 Servos são invocados no total.

Assim começa a Grande Guerra do Santo Graal, mostrando dois grupos, a Black Faction, constituída pelos membros da Yggdmillennia, e a Red Faction, com membros da Associação dos Magos, e um membro da Igreja. O próprio Graal invoca um servo a parte, da classe Ruler para mediar a guerra iminente.

Membros da Red Faction.
Membros da Red Faction.

Considerações pessoais

Não li as novels ainda, mas recebi alguns spoilers, principalmente de identidades de personagens, e não vejo a hora de poder ler. Um time de Servos contra outro time de Servos, possiblidades de ataques combinados, Mestres e seus interesses pessoais no Graal, tudo isso em uma só história? Cara deve ser MUITO DIVERTIDO, um grande Battle Royale com 28 membros, cada um lutando por algo. Fico até feliz que recebeu mais um volume de expansão, se existe algo que eu gostaria de ver uma adaptação em anime, seria esse.

Fate/Prototype

Capa do mangá Fate/Prototype Tribute Phantasm.
Capa do mangá Fate/Prototype Tribute Phantasm.

Como o próprio nome já diz, é um protótipo do que seria  a versão original de stay night. Só foi lançado um OVA no final junto com a versão em BD do anime Carnival Phantasm. Existem adaptações em Drama CD, um mangá de antologias, com diversos autores, e uma série de light novel que conta a guerra antes de Prototype, com autoria de Sakurai Hikaru e ilustrada por Nakahara.

Essa versão de Fate foi escrita por Kinoko Nasu durante o ensino médio, que após alguns anos foi desenvolvida no que viria a ser Fate/stay night, alguns elementos foram alterados, como os Níveis de Mestres, que são nomeados seguindo uma hierarquia angelical, começando na sétima ordem e subindo de nível (Principados, Potências, Virtudes, Dominações, Tronos, Querubim e Serafim).

Mas sobre o que se trata Fate/Prototype?

Oito anos após o final da trágica Heaven’s Feel, o Santo Graal ainda é desejado, entretanto, durante o combate entre os Mestres, eles percebem que o Graal não é aquilo que pensavam. Nossa protagonista, Ayaka Sajyou é a última de sua família, e ela tenta viver normalmente sem se relacionar com o passado de sua família ou a Guerra, porém ela não tem como escapar do destino que se iniciou na guerra passada, quando sua irmã mais velha Manaka Sajyou foi assassinada na Guerra passada. A última coisa que ela se lembra de seu pai é a frase antes dele morrer: “você não tem escolha se não entrar na Heaven’s Feel”.

Protagonista Ayaka Sajyou e Saber de Prototype
Protagonista Ayaka Sajyou e Saber de Prototype

Oito anos após a morte de sua família, Ayaka é perseguida por um homem misterioso com uma matilha de cachorros. Prestes a morrer, um guerreiro salva ela, ele é Saber, seu Servo, e agora ela não tem mais escolhas, se não entrar na Guerra.

Considerações pessoais

O OVA tem apenas 13 minutos, mas deixou um gostinho de quero mais. Olhando de longe, até parece um reverse harém, com nossa protagonista, Ayaka no meio de tudo isso. Dessa vez Saber está como deveria ser, sendo um homem e não mulher. Um de meus desejos mais obscuros é ver Fate/Prototype, ser lançado como um Otome Game, a quantidade de personagens masculinos de beleza considerável, seria um grande sucesso entre as meninas, e claro, com todo o mistério e dor que vem juntos com qualquer obra da série Fate.

Fate/Tiger Colosseum e Fate/Tiger Colosseum UPPER

Capa de Fate/Tiger Colosseum para PSP e personagem Magical Caren.
Capa de Fate/Tiger Colosseum para PSP e personagem Magical Caren.

É um jogo de luta em 3D baseado em Fate/stay night desenvolvido pela Cavia e distribuído pela Capcom. Foi lançado para a plataforma PSP em 2007, com uma sequência em 2008, a versão UPPER, com personagens de hollow ataraxia, Zero, e versões mahou shoujo de Arcueid Brunestud e Kohaku de Tsukihime, Rin Tohsaka e Caren Hortensia.

Mas sobre o que se trata Fate/tiger colosseum?

É um jogo de luta, simples não? Existem algumas versões alternativas, como Saber Lion, e na sequência UPPER, outros personagens de outras obras da franquia. Tudo em versões super deformed, sendo um pouco mais infantilizado.

Considerações pessoais

Acabei por nunca jogar por não ter muito saco pra jogar jogos em que eu não possa ler os diálogos, principalmente em Fate, que os diálogos e a história são o ponto chave do jogo. Como nenhuma empresa lançou alguma tradução, é bem provável que eu acabe por nunca jogar, uma pena, infelizmente.

Fate/EXTRA e Fate/EXTRA CCC

Capa americana de Fate/EXTRA e capa japonesa de Fate/EXTRA CCC
Capa americana de Fate/EXTRA e capa japonesa de Fate/EXTRA CCC

É um jogo RPG, desenvolvido pela Image Epoch e distribuído pela Marvelous Entertainment. Foi anunciado em 2009 e chegou as lojas japonesas em 2010, em 2011 foi lançado nos Estados Unidos. A equipe principal é composta por Kinoko Nasu como roteirista, Arco Wada como character designer e artista, Huke como desenvolvedor das armas, Takashi Takeuchi como supervisor de character designer, Kazuya Niino como produtor e Shuetsu Kadowaki como diretor. O sistema de combate é um sistema similar à pedra-papel-tesoura, onde você tem seis turnos para montar uma combinação e vencer o adversário.

Algumas adaptações foram feitas, como Dramas CD, e duas adaptações em mangás, uma de Fate/Extra que começou em 2011 na revista Comptiq, sendo ilustrada por Robi~na, com Hakuno Kishinami(versão homem) como Mestre e Saber como Serva. A outra adaptação é de Fate/EXTRA CCC Fox Tail, que começou em 2013, na revista Comp Ace, ilustrada por Seijin Takenoko. Nesse mangá acompanhamos Hakuno Kishinami(versão homem) e Caster, numa história com diversos designs recusados que não foram pra versão final de EXTRA CCC.

Mas sobre o que se trata Fate/EXTRA?

Passa-se num mundo que alguns eventos de stay night são o mesmo, mas um acidente nos meados dos anos 1970 causa que a mana do planeta começa a morrer, e isso faz com que se separe em um universo diferente, no ano de 2030, toda a mana do planeta já não existe mais.

Essa história se passa na Academia Tsukumihara, que se passa num ambiente artificial chamado Moon Cell, que organiza sua própria versão da Guerra do Santo Graal, usando um sistema chamado SE.RA.PH, que gerencia as invocações dos Servos. Replicando o mundo real, num computador, o computador Automaton, construído na superfície da Lua, monitora e grava todos os acontecimentos na Terra (Semelhante ao personagem Vigia do Universo Marvel).

Cada um dos 128 participantes deve entrar na Guerra com outros mestres num lugar chamado Arena, onde a derrota significa a morte, ou melhor, a deletação desse mundo virtual e a morte no mundo real. Apenas quando sobrar apenas um Mestre e Servo, o Santo Graal irá conceder seu desejo ao vencedor.

Hakuno Kishinami homem e mulher e seus uniformes alternativos.
Hakuno Kishinami homem e mulher e seus uniformes alternativos.

Nosso protagonista é Hakuno Kishinami (que possui sua versão homem e versão mulher), ele junto de seu servo, terá que lutar contra amigos e inimigos para vencer, só tem um pequeno problema, ele também perdeu sua memória no processo de digitalização, e deve saber quem ele é.

Vale citar que em EXTRA, o sistema de rotas também existe, gerando diversas histórias diferentes em um jogo só. Os diferentes Mestres e Servos de EXTRA, não são as mesmas versões de stay night e outros personagens da Type-Moon, além de personagens novos, outros mais antigos também dão as caras. Você pode escolher um entre três servos da classe Saber, Archer e Caster. 

Considerações Pessoais

Eu TENTEI jogar EXTRA, mas eu sou uma pessoa que não curte muitos jogos, mas eu gostaria muito de conhecer mais a história de EXTRA, tanto que decidi acompanhar as duas versões em mangá. Para quem quer um jogo com características de RPG e visual novel, esse jogo deve ser uma ótima escolha.

Até o momento, apenas um deles foi lançado nos Estados Unidos para o PSP, já EXTRA CCC só tem em japonês, para PSVITA.

Carnival Phantasm

Imagem promocional de Carnival Phantasm
Imagem promocional de Carnival Phantasm

É uma série de anime que adapta principalmente Take-Moon, um mangá de Eri Takenashi, que basicamente é uma grande comédia que parodia principalmente Fate/stay night e Tsukihime. A série principal conta com 12 episódios de 14 minutos cada, lançada no ano de 2011. Com diversas esquetes das duas obras, foi animada pelo estúdio Lerche, e alguns OVAS além desses foram lançados com o segundo volume de Take-Moon por exemplo.

Mas sobre o que se trata Carnival Phantasm?

Capa japonesa do segundo volume de Take-Moon.
Capa japonesa do segundo volume de Take-Moon.

Como eu disse anteriormente, cada episódio aborda diferentes personagens e algumas esquetes prontas, como a versão mahou shoujo, Phastas-moon de Arcueid de Tsukihime, re-imaginação da Guerra do Santo Graal como um game show ou até mesmo uma corrida, usar características dos personagens como a inaptidão da Rin Tohsaka em usar tecnologia, a Saber e sua fome interminável ou até mesmo ver o Shirou e Shiki planejando um encontro com cada heroína e como isso ocorre.

Considerações Pessoais

De todas as obras da Type-Moon, Carnival Phantasm é em minha opinião a melhor adaptação animada de todas, comédia e animação estão excelentes, é EXTREMAMENTE recomendável que você só assista após conhecer um pouco de Tsukihime e Fate/stay night, pois são as obras que são parodiadas. Pessoalmente, também é meu anime favorito de comédia, reitero aqui que você só deve assistir, após conhecer mais de Tsukihime e Fate/stay night.

Será que você reconhece todos?
Será que você reconhece todos?

Por onde começar?

Minha recomendação é a ordem de lançamento, porém se você seguir a ordem desse guia estará bem preparado para entender bem e aproveitar mais ainda, então siga essa ordem.

1 – Fate/stay night
2 – Fate/Zero
3 – Fate/hollow ataraxia
4 – Fate/Kaleid Liner Prisma Illya
5 – Fate/strange fake
6 – Fate/Unlimited Codes
7 – Fate/Prototype
8 – Fate/EXTRA
9 – Fate/EXTRA CCC
10 – Fate/Apocrypha
11 – Carnival Phantasm

Fate/stay night (2014)

Imagem promocional da nova animação de stay night.
Imagem promocional da nova animação de stay night.

Em Outubro de 2014, sairá no Japão um novo anime de Fate/stay night, dessa vez com outro estúdio de animação, o ufotable, que já tem intimidade com a Type-Moon por ter animado Zero e Kara no Kyoukai, dessa vez o diretor será Takahiro Miura, que dirigiu o sexto filme de Kara no Kyoukai: Boukyaku Rokuon. Os characters designs vão ser o mesmo de Zero, com Tomonori Sudou, Atsushi Ikariya e Hisayuki Tabata. Todos os dubladores da versão de 2006 e outros trabalhos retornaram para fazer a nova versão. Essa também não será a primeira vez que o estúdio animou os personagens, para a versão Réalta Nua de PSVITA, ganhou 3 aberturas espetaculares, porém cuidado que elas dão algum nível de spoiler.

Uma das maiores dúvidas após o anuncio era qual rota seria adaptada, mas para a surpresa de todos, foi decidido que será uma rota original, feita por ninguém mais que Kinoko Nasu, que após 10 anos, volta a stay night. Outra diferença é nas roupas dos personagens, Shirou ganhou uma jaqueta maneira, e Rin e Saber também vão ter novos itens no seu armário.

Conclusão

Isso é apenas uma parcela de todo o material de Fate. Além disso, existem outros mangás com teor mais humorístico, com participações de outros artistas e escritores, mas isso pode ficar para outro guia, quem sabe? Como vocês podem ver, Fate é uma franquia rica de obras, com personagens cativantes e interessantes, além das diversas situações e abordagens que podem ter resultados totalmente diferentes, mesmo tratando de uma proposta similar.

Nesse guia, tentei fazer mais uma ilustração para vocês entenderem do que se trata e poder entrar nesse mundo sem muitas dúvidas sobre qual ler ou jogar primeiro, qual é a obra principal e qual o spinoff. Então, o que acharam do guia? Útil, o que melhorariam? Já para os que já conhecem qual seu herói e sua classe favorita? E o melhor mago? Participaria dessa guerra por um desejo a ser concedido?

Fontes: http://myanimelist.net/anime/22297/Fate/stay_night_(2014)
http://myanimelist.net/anime/356/Fate/stay_night
https://www.mangaupdates.com
typemoon.wikia.com/wiki/
Type-Moon Ace Vol. 9