Aberturas de Anime: 2012, Parte 2

Aberturas de Anime: 2012, Parte 1

Entre as literalmente centenas de aberturas de anime exibidas em 2012, escolhemos as dez melhores – e neste artigo você poderá conferir os comentários sobre mais cinco delas. Assim, sem mais delongas, a Segunda [e derradeira] Parte das Melhores de 2012.

Saori Kodama – Mikansei Stride [Hyouka OP 2]

Deliciosamente elegante.

Uma soma onde todas as partes são ótimas – do conceito ao resultado final, temos aqui uma abertura simplesmente vencedora. O sonho de Oreki – e, claro, apresentação do eclético elenco da série – resume a excelente direção de arte que valoriza o trabalho caro, primoroso e consistente do Kyoto Animation que, aliado ao storyboard e direção seguros em sua nuance e cadência fizeram da adaptação incompleta que seja de Kotenbu Series um dos animes vencedores de 2012. Há uma gordura de dez ou quinze segundos aqui, mas nada que comprometa.

Hiroaki TOMMY Tominaga – JoJo ~Sono Chi no Sadame~ [JoJo’s Bizarre Adventure OP 1]

Uma abertura moderna que se encaixa com perfeição em um verdadeiro clássico dos mangas.

A adaptação de Naokatsu Tsuda para as duas primeiras partes de JoJo correspondeu as altas expectativas dos fãs de uma forma inesperada; e o primeiro indício que este anime iria transpor a energia do manga em cores e movimento veio de uma abertura surpreendente, combinando uma anime song à moda antiga a um dos melhores 3DCG de anime em um bom tempo. O recurso escolhido para fazer uma ponte com o jogo de Playstation 3 lançado algum tempo depois caiu como uma luva para os diversos efeitos de uma abertura ao mesmo cinematográfica e impactante dirigida como um videoclipe alucinante. Melhor introdução impossível.

Rita – Little Busters! ~TV animation version~ [Little Busters! OP v2]

Melhor que o próprio anime…

A primeira temporada de Little Busters! foi sobretudo inconsistente: da estrutura do roteiro à animação, tivemos uma montanha-russa que só atrapalhou no envolvimento e na diversão do espectador. Mas vendo esta abertura consistente e correta em ser genérica, com uma boa versão do tema de abertura do jogo na voz poderosa de rita que apresenta os personagens de maneira clichê, segura e bem-executada, a esperança de termos uma segunda e final temporada que faça mais jus a fama do original acende por um momento.

GRANRODEO – CAN DO [Kuroko no Basket OP 1]

Toda a energia que fez Kuroko no Basket ser um dos shounens mais famosos de sua geração.

Falamos acima de JoJo, publicado na mesma Shounen JUMP de Kuroko no Basket – mas é aqui, em uma obra contemporânea da mesma revista de mangas do Japão, que está mais presente a característica dos personagens darem todo o seu suor para chegarem ao seu objetivo. Suor e amizade/rivalidade [e shipping para as fãs fujoshi] em uma obra repleta de tensão e agilidade – e cortes rápidos e precisos. Assim, nada melhor que uma agitada música do GRANRODEO para apresentar a jornada de Kuroko, o membro-fantasma da Geração dos Milagres que junto com o destemido Taiga irá desafiar gigantes em sua jornada para mostrar seu valor.

Ling Tosite Sigure – Abnormalize [PSYCHO-PASS OP 1]

Sim, o grande talento de Naoyoshi Shiotani até aqui parece ser o de fazer excelentes aberturas para suas obras.

PSYCHO-PASS, como toda obra escrita por Gen Urobuchi, é muito difícil de ser analisada sem citar o nome do roteirista mais famoso de sua geração. Uma sombra fortíssima que atua sobre o trabalho de Naoyoshi Shiotani, eclipsando-o em geral; e são nas aberturas da série que este tem sua chance de brilhar com uma mistura de roteiro cheio de mensagens e simbolismos e diversas experimentações na forma. O resultado casa com uma boa música em uma colagem muito bem feita do que poderia ser apenas uma animação bacana, mas que também conta parte da relação entre dois dos personagens principais.

Até as melhores de 201…

Aberturas de Anime: 2012, Parte 1 Entre as literalmente centenas […]