Julho/2013: Resumo das Estreias

julho_2013_resumo

Comentários rápidos sobre algumas as estreias da temporada, logo após os comerciais.

blood_lad

BLOOD LAD
Brain’s Base, 1-cour

Simpático; ou seja, suficiente para ser até mais popular fora do círculo mais restrito de leitores de blog de anime que dentro.

Originado em um manga com certo hype aqui no Brasil principalmente por – surpresa! – já estar em publicação por essas bandas via editora Panini, a adaptação do estúdio Brain’s Base consegue ser além de correta, mas não o suficiente para ser obrigatória a muitos.

O roteiro, focado em um vampiro otaku que um belo dia se encontra com uma humana, é legal e a direção soube transcrever principalmente o estilo presente no manga principalmente através de uma paleta de cores bem saturada; mas temos mais entretenimento sem qualquer compromisso que algo que assuma a linha de frente ou tenha algum grande destaque. Claro que tem muito público para isso, resta saber se a obra é feita na medida para você.

gatchaman_crowds

Gatchaman CROWDS
Tatsunoko Pro, 1-cour

Estiloso. A mais nova reimaginação do famoso universo de Gatchaman teve um Primeiro Episódio que gastou um bom tempo introduzindo os personagens principais [particulamente a novata, peituda e excêntrica heroína adolescente] os conceitos básicos deste mundo, mas que conseguiu ser bom o suficiente para levar o espectador menos ansioso até o próximo episódio.

O visual colorido e vibrante honrou a tradição de Kenji Nakamura [Mononoke, Tsuritama], um dos melhores artistas neste meio, mas infelizmente a soma dos bons fatores [claro, as armaduras em 3DCG acaba sendo novamente uma pedra no sapato da animação japonesa] teve um produto apenas mediano e carregado de diálogo expositivo e lento demais para nosso acelerado tempo. Ironicamente, um produto na aparência diferente foi vítima de um começo tradicional demais.

gin_no_saji

Gin no Saji
A-1 Pictures, 1+1 cour

Japonês demais para muitos, diferente o bastante para outros.

Depois do hit FullMetal Alchemist, quem diria que Hiromu Arakawa iria se mudar para a Weekly Shonen Sunday e provar com um manga drama/slice-of-life sobre o amadurecimento de um jovem que vai estudar na fazenda que qualquer tema pode ser explorado nesta mídia?

E o já maior sucesso da revista de Meitantei Conan e Magi ganha anime pelo diretor de Sword Art Online, no bloco noitaminA. Sim, quase uma superprodução que mostra em seu primeiro episódio a capacidade do A-1 Pictures de entregar um resultado técnico que mesmo genérico é muito bem-acabado. Melhor, o diretor e toda a equipe souberam deixar o caminho livre para que o roteiro, a adaptação de Hachiken a vida na fazenda pudesse fluir da melhor forma possível.

Um excelente e sobretudo divertido e no clima Primeiro Episódio sólido o bastante para pensarmos mais qual será o ponto que após vinte e dois episódios tudo ficará amarrado; Hourou Musuko e Usagi Drop conseguiram com metade dos episódios, será que Silver Spoon conseguirá o mesmo?

love_lab

Love Lab
Dogakobo, 1-cour

Do mesmo estúdio de Yuru Yuri vem o yuri da temporada – e de uma forma discreta Love Lab consegue ser uma agradável surpresa ao contar uma história de uma presidente de grêmio perfeita… menos no amor. E a ajuda para tornar-se uma garota desejável vem da fonte mais inesperada: a selvagem do colégio.

Azul e vermelho, cabelo curto e longo, temos um casal até clássico aqui – a diferença é a direção do anime que sabe jogar com o tempo certo ao ponto de termos uma divertida comédia na qual iremos descobrir… ah, o amor.

Nada diferente ou inédito aqui, somente uma obra sobretudo sincera e que ao menos em seu início consegue atingir os pontos exatos para cativar o espectador; difícil é saber se pessoas o suficiente souberam desta joia algo escondida na temporada.

uchoten_kazoku

Uchoten Kazoku
P.A.WORKS, 1-cour

Quando diferente não quer dizer necessariamente estranho.

Uchoten Kazoku, baseado em um romance de Tomihiko Morimi [Tatami Galaxy] com design de personagens por Kouji Kumeta [Sayonara, Zetsubou-sensei] é um monstro estranhamente familiar.

Cenários que na verdade são fotos filtradas? Elenco variado a ponto da estrutura da série de basear nos encontros desta Família em Êxtase? Um anime do P.A.WORKS que tecnicamente nem parece ser do mesmo estúdio de Angel Beats! e Another?

É um anime excêntrico e talvez para poucos, mas a construção de uma Tokyo toda peculiar lembra muito um dos fatores que tornou Durarara!! um retumbante sucesso; isto é, menos o fator cool, afinal o aparente protagonista é um tanuki.

Uma direção sólida e o fato de, como Tatami Galaxy, adaptar um único livro faz com que a chance de termos uma obra fechada [algo raro atualmente] e completa sejam muito grandes; melhor ainda se manter a qualidade inicial.

watamote

Watashi ga Motenai no wa Dou Kangaete mo Omaera ga Warui!
SILVER LINK., indefinido [provavelmente 1-cour]

Shin Oonuma se controla e somente usa seus talentos para adaptar o manga de sucesso na internet.

Poderia ser manchete de jornal, mas é o que acontece aqui. Oonuma tem talento, mas já demonstrou sua mão pesada [característica que compartilha com sua grande influência: Akiyuki Shinbo] mais vezes do que deveria. E é uma grata surpresa quando em não importa o que você ache, a culpa é sua que não sou popular! o estilo a la SHAFT funciona de forma discreta para adicionar na versão animada – principalmente na abertura e encerramento, yin/yang que contam a história de uma pessoa doce por dentro que desenvolve certa raiva da sociedade.

Um timing certeiro e a mistura de comédia com certo drama psicológico que conta a rotina de uma garota realmente impopular torna-se automaticamente uma das melhores estreias da temporada sem precisar de um grande orçamento ou propaganda. É nicho, mas consegue ressoar muito forte em todo um fandom que se identifica com a heroína desajeitada que só quer ter amigos.

Abertura – Shingeki no Kyojin OP 2 e Watashi ga Motenai no wa Dou Kangaete mo Omaera ga Warui! OP

Roque pesado é bom, mas duas aberturas cujos animadores sabem o que estão fazendo contam muito. De saber contar os temas abordados ao bom número de filtros e cenas muito bem-animadas pelos mais competentes desenhistas do estilo, mais uma vez provamos que sim, vale a pena reassistir todo episódio a noventa segundos que resumem as obras.

Encerramento – Watashi ga Motenai no wa Dou Kangaete mo Omaera ga Warui! ED

Mas Watamote fez algo a mais do que o dito acima e somando-se abertura e encerramento temos boa parte dos temas que a obra trata contados de forma que estes três minutos que teoricamente são acessórios ganham significado. Sim, tanto a revolta contra o mundo presente na abertura quanto a Tomoko que simplesmente quer ter um amigo do encerramento são facetas da mesma pessoa.

Muito legal, mas vale lembrar que uma abordagem assim nem ao menos é inédita – Detroit Metal City consegue fazer isto de forma ainda melhor com Satsugai [Assassinato] e Amai Koibito [Doce Namorado]; o que não tira qualquer mérito deste que talentoso criador deste tipo de storyboard [que o diga as duas primeiras aberturas de Hidamari Sketch].

free

Decepção – FREE!
Kyoto Animation x Animation DO!, 1-cour

FREE!, ou o anime de natação, representa algo bacana: finalmente a indústria de anime, incluindo um estúdio de ponta como o Kyoto Animation, começa a ver os animes para fujoshi como um nicho que merece respeito e algo de qualidade.

O problema é que apesar das boas intenções o diretor novato Hiroko Utsumi entrega um resultado que não ofende mas também está longe de ser ótimo e de ter algum diferencial além de bons valores de produção. E caramba, há pelo menos um anime moe por temporada [vale como exemplos recentes* GJ-bu e Yuyu Shiki] elogiado justamente por conta de ser divertido para o nicho que curte garotinhas de forma hardcore.

Médias – sim, mesmo o elogiado encerramento! – a parte, soa algo esquisito para alguém fora do nicho fujoshi como este redator o fato dos protagonistas terem corpos saradíssimos e ao mesmo tempo personalidades quase fofas, algo que parece casar mais com o design de Kimi to Boku..

servant_x_service

Surpresa – Servant x Service
A-1 Pictures, indefinido [provavelmente 1-cour]

A surpresa da temporada, quem diria que do mesmo autor de Working!! veríamos um slice-of-life de… funcionários públicos.

Equipes diferentes de adaptação a parte, o feeling é similar e mesmo os episódios sendo menos conectados em torno de um tema do que deveriam conseguem até aqui render boas risadas. Claro que é comédia da básica, e assim a preocupação de as piadas acabarem antes da temporada é presente, mas um bom começo e personagens simplews e com certo potencial garantem ao menos a melhor comédia da temporada. Ao menos se não for maldoso o suficiente para rir de WataMote.

monogatari_series_second_season

O Melhor – Monogatari Series, Second Season
SHAFT, 2-cour

Ame ou odeie, o anime.

Disse o mesmo sobre Aku no Hana, mas como comparar um cult que será lembrado por alguns e esquecido por quase todos com o maior sucesso de vendas de discos dos últimos cinco anos no Japão?

Diálogos magníficos e vazios em um enredo fino como uma linha e ao mesmo tempo cheio de significado animados através de uma direção de arte que particularmente na primeira temporada levou o paradigma do estúdio SHAFT às últimas consequências, para na segunda dividir opiniões sobre o fanservice.

Esta terceira que na verdade é segunda temporada é tudo isso, o harem levado às últimas consequências [em um sentido, para o outro temos To Love Ru] que, afiado como sempre, irá continuando a agradar quem já gostava e afastar quem nunca curtiu.

Sim, é confuso assim.

shingeki_no_julho

Conclusão

Considerando o fato de que Julho é [junto com Janeiro] uma temporada de ressaca, principalmente devido ao fato de muitos animes mais longos [de dois e quatro cour] estrearem preferencialmente em Abril e Outubro temos uma temporada relativamente grande e sobretudo balanceada e com bons candidatos ao menos a divertirem ao espectador durante mais esta jornada.

Dito isso, vale ressaltar que sobretudo falta um anime matador, pronto para virar muito popular. Um ano depois de Sword Art Online dividir opiniões é o segundo cour de Shingeki no Kyojin que deve ser o anime mais assistido desta temporada. Mas e Monogatari?

Uma marca conhecida e sem dúvida cheia de fãs, mas não o suficiente para em seu quarto título atrair tantos como antes. Assim, temos de BLOOD LAD a Gin no Saji disputando atenções; todos divertidos, nenhum bom o suficiente em seu início para cativar multidões.

Assim, vale fazer as mesmas cinco recomendações do post anterior [três acertos, uma continuação que perdeu o gás e Gen Urobuchi desapontado gregos e coreanos]: começando pelas comédias Servant x Service e Watashi ga Motenai no wa Dou Kangaete mo Omaera ga Warui!, que utilizam sobretudo um texto afiado e conduzido levemente pela direção a seu favor – no caso de Watamote, a temática simples e efetiva também ajuda.

Ainda falando de obras algo leves, Gin no Saji pode ser um manga – e por extensão anime – japonês demais, mas é complicado subestimar o simpático mais novo sucesso de Hiromu Arakawa, autora de talvez o menos convencional entre os shonen de maior repercussão – ainda mais quando temos uma boa produção e o selo noitaminA.

Por fim, Monogatari Series, Second Season é – como Railgun S – mais uma parte de uma franquia que vale ser acompanhada do início; o mesmo não pode ser dito de Gatchaman CROWDS, uma homenagem e uma releitura do conceito de mais de quarenta anos atrás nas mãos de um dos diretores que mesmo com seus tropeços é um dos mais criativos da indústria da animação japonesa.

Indústria essa que não para: em Outubro temos Kill La Kill liderando mais uma novíssima temporada de animes que promete desde continuações diretas a la Magi e Valvrave até aquele anime anunciado quase de última hora que acaba pegando muitos de surpresa. E, como sempre, o Argama estará fazendo não a maior, talvez não a melhor, mas uma cobertura que mede as palavras mas não a paixão para falar de simples e ao mesmo tempo complexos desenhos chineses.

*em Julho de 2013

Faltou alguma estreia a ser comentada? Acha que um sistema de notas ajudaria na escolha e na percepção deste artigo? Não deixe de comentar e é provável que seu feedback esteja incluso em uma eventual atualização deste artigo. Até a próxima!

Comentários rápidos sobre algumas as estreias da temporada, logo após […]