A Polêmica Animação de Aku no Hana

Primeiras Impressões: Aku no Hana [no Anikenkai]

aku_no_hana_polemica_anime

A bola tinha sido cantada há quase seis meses, mas talvez ninguém quisesse acreditar que Aku no Hana fosse levar ser uma adaptação tão… livre do original.

aku_no_hana_manga_anime_lol

Publicado desde 2009 na Bessatsu Shonen Magazine, um spin-off mensal da Shonen Magazine, Aku no Hana (As Flores do Mal) é escrito e desenhado por Shuzo Oshimi. Atualmente conta com 7 volumes e ainda está em publicação.

O mangá acompanha Takao Kasuga, um garoto bastante introspectivo e idealizador que vive imerso em livros; sua obra preferida é As Flores do Mal, de Charles Beaudelaire, de onde vem o título do mangá. Kasuga é apaixonado platonicamente por Nanako Saeki e, por infortúnios do destino, ele acaba roubando as roupas de ginástica da menina. Esse fato é testemunhado por Nakamura, uma jovem de óculos, sádica, violenta e totalmente excluída da sala. Ela passa então a chantagear Kasuga para ele fazer tudo o que ela quiser em troca de manter o segredo do roubo que ele cometeu.

aku_no_hana_manga_anime_lol

O manga ganhou em Abril/2013 adaptação para anime pelo estúdio ZEXCS, com direção de Hiroshi Nagahama [Detroit Metal City, Mushishi]; muito segredo foi feito a respeito do character design, e os comentários a respeito de rotoscopia e “técnicas inovadoras de animação” já fizeram muitos ficarem apreensivos sobre afinal qual seria o resultado.

E a exibição do Primeiro Episódio só confirmou que temos uma obra baseada cem por cento em rotoscopia, uma técnica de animação se redesenha, quadro a quadro, um filme que serve de guia e referência. Ou seja, modelos reais filmam enquanto os animadores apesar desenham e redesenham por cima, aproximando o mínimo possível os atores aos personagens do manga em sua vertente animada.

Sempre foi um processo polêmico – que o diga o esquecido O Senhor dos Anéis [1978] – e que mesmo na vertente de Nakamura não está isento de um feeling que quebra a suspensão de descrença tão necessária para embarcar em qualquer ficção. Analisando de um ponto de vista puramente técnico podemos dizer que o processo tem seus problemas neste episódio [como o fato das feições do rosto de personagens aleatórios simplesmente não estarem lá], mas que no geral é bem-feito [principalmente se pensarmos no orçamento de um anime televisivo]; o duro é deixar de perceber que a rotoscopia está ali – infelizmente, o efeito incomoda e provavelmente será difícil de se acostumar para quem seguir esta jornada até o final; muitos não chegarão ao segundo episódio.

Tivemos aqui uma opção artística e criativa por um realismo algo extremo [a direção, que é boa, acerta no clima ao mesmo tempo pé-no-chão e assustador], mas não custa olhar para o lado – no caso, para o famoso estúdio SHAFT [que entre o carpádio de maluquices que oferece tem uma ou outra experiência com objetos e até uma abertura em live-action – de verdade – para um anime]; certamente Akiyuki Shinbo faria algo maluco com Aku no Hana, mas que sem dúvida seria mais palatável ao espectador médio [e não-médio] que a experiência de Nagahama. No final das contas, o anime continua com o mesmo potencial de ser excelente – mas infelizmente, investir em algo tão arriscado justo em uma adaptação tão esperada de um raro manga mais arriscado a ganhar adaptação não foi um bom começo.

Atualização: Vale a pena conferir o hilário vídeo abaixo, que oferece um excelente resumo do dito neste artigo.

Certamente o fandom ainda irá gastar muitas linhas com esta história, assim não deixe de comentar abaixo. E antes de finalizar este post, segue algumas comparações entre o manga e o anime.

aku_no_hana_manga_anime

aku_no_hana_manga_anime_v2

P.S.: Algumas sábias palavras do Kvin _aqui_, valem a leitura.

[imagens via Vito Phaluta; sinopse via Mangatologia]

Primeiras Impressões: Aku no Hana [no Anikenkai] A bola tinha […]

46 thoughts on “A Polêmica Animação de Aku no Hana”

  1. Nha, não acho que o Shinbo fizesse alguma maluquice aí, não. Ele já mostrou que sabe respeitar a essência de cada obra, vide Madoka. E Le Portrait de Petit Cossette, apesar de ser um Shinbo em inicio de carreira, tem um efeito visual aterrador. Até mesmo a cenografia e atmosfera de Madoka consegue ser artístico e também meio sombrio. Pena que o Shaft está cada vez mais indo em outras direções XDDDD

  2. Já vi muitos animes mas nunca vi nada tão feio, bizarro, grotesco, nojento……igual a essa abominação de animação chamada Aku no Hana na minha vida.

    Não sou hater ou fanboy de nada, acho uma perda de tempo e propósito, mas esse anime parecia que tinha uma plaquinha de “hate me” balançando na tela o tempo todo. Nunca torci pra nada fracassar antes, mas vou abrir uma exceção, tomara que essa coisa(me recuso a chamar de anime) bombe, mas bombe muito feio, quero vendas de BD/DVD negativas, o manga pare de vender e que a ZEXCS vá a falência pro causa dessa abominação a natureza.

    Mas um prêmio ele já garantiu, worst character design of the year.

      1. Não estou, apenas queria um efeito tão negativo que até o manga que pelo certo não teria muito a ver com isso fosse prejudicado. Já li 2 volumes do manga, não gostei, ficar vendo um imbecil sendo judiado não me diverte, mas de certo que é bem superior a essa “coisa”(me recuso a chamar de anime).

        1. Não sou hater ou fanboy de nada, acho uma perda de tempo e propósito, mas esse anime parecia que tinha uma plaquinha de “hate me”.

          a principio vc tinha tido que abril uma “exceção” para a série animada poe ter ficado horrivel, e concordo, mais o mangá não tem nada a ver com isso, caso contrario, vc estará apenas contrariando suas proprias palavras de “Não sou hater ou fanboy de nada”

          “Não estou, apenas queria um efeito tão negativo que até o manga que pelo certo não teria muito a ver com isso fosse prejudicado.”

          Muito infantil, e no fim querendo ou não, você é igual esses hates da internet, e um dos piores, tendo em vista esses seus comentários nojentos!!

          eu não conheço a obra. e mesmo assim, ela sendo ruim ou não, apenas vou ver o que gosto e me agrada, e o que eu acho lixo, apenas ignoro, meu tempo é valioso (não sei oi seu) para ficar criticando, e falando ainda ter cara de pau de falar que não é hater

    1. Calma cara, nem viu 5 episódios pra ter uma base melhor e julgar a adaptação de forma adequada e já está mandando praga. Vai que é bom mesmo?
      Confesso que fiquei um pouco decepcionado com o character design em comparação ao mangá, mas até que eu experimente, sinta e veja a obra eu não vou julgar uma obra como essa pela aparência.

      1. Não consegui passar dos 5 primeiros minutos, quanto mais 5 episódios. Se você só liga pra história e consegue ignorar todo o resto então boa sorte, eu infelizmente me importo com o “todo” e não só com a história o que torna assistir a esse “bagulho” impossível pra mim.

    2. KKKKKKKKKKKKKKK que comentario mais ridiculo e esdruxulo.

      Cara, isso é um terror psicologico E É OBVIO que o traço ia ser desse jeito amigo!
      Como terror psicologico, o traço tem que ser mais estranho e realista dificil pra aumentar a tensão e o suspense. So nao gostei por que achei os personagens meio gordinhos, mas ta de boa.
      Jamais vi historia igual a essa e jamais vi um traço igual a esse, por isso vo continuar lendo/assistindo e tenho certeza que todos com BOM SENSO vao continuar fazendo o mesmo.
      E agora, a criança pode voltar a assistir One Piece e Naruto

      1. o.O era obvio? desculpe minha ignorância então. E da do autor da obra original também porque o traço dele não tem nada a ver com o do anime.

        Só concordo em uma coisa, “jamais vi um traço igual a esse”, pois é, eu também não, mas isso não é positivo. O MAL que o diga, Aku no Hana conseguiu a pior média(score) da historia do site, tá com 4.80. Mas deve ser tudo fã de naruto votando…afinal fãs de Naruto adoram tentar assistir animes desse gênero XD.

    3. Bom, o design dos personagens é feito em cima de uma filmagem com atores reais, entao nao acho que seja valido dizer que ele tem o pior character design do ano já que eles nao criaram design nenhum. Se tivesse um premio de traços mais feios podia até ser xD

  3. Não vi o anime, não li o mangá.

    Mas minha opinião é de que, se querem fazer animação BASEADO em mangá, que se use o traço mais próximo possível do autor. Isso que fizeram, faz parecer que estão adaptando um live action.

    A técnica de animação utilizada é interessantíssima, e acho que precisam usá-la mais. Porém, que a utilizem em animes originais, e não em adaptações.

  4. Dou a ele o benefício da dúvida justamente por sair da linha de conforto e arriscar algo novo. Seguir à risca a ideia do mangá é algo que muito me incomoda. Quanto mais importam-se com o fandom, menos brilho a obra tem.

  5. Não acredito que fizeram isso com AKU NO HANA, sério, que merda é essa, Kra esse tipo de animação é interessante mais tipo faça isso em animes originais, não em adaptações pq isso tira toda essência da Obra, Kra q merda, não to acreditando até agora, sério Kra isso tá fora do comum, talvez eu que sou fã do mangá não assista esse anime até o fim!!!

  6. O animê que eu estava com mais vontade de assistir, puta que pariu. Está totalmente TOSCO, tá horroroso, uma verdadeira bosta, o mangá é totalmente foda, no anime parece que foi feito no paint -.,-

    1. Quando eu li a sinopse eu realmente me interesse, mas quando saiu o primeiro episódio, achei a animação muito(!) estranha. Uma parte muito importante de um anime, tanto quanto de um mangá, é o desenho. O personagem tem que ser atrativo para atrair a atenção do público, independentemente do gênero (discordando com alguns comentários acima). Comecei a ler o mangá, que por sinal, possui uma arte que passa longe (ainda bem) do anime, com uma história interessante, que parece que vai se desenvolver mais ainda. Não espero taaaaaaaaaaaanto assim do mangá, mas foi uma história que chamou minha atenção. Recomendo.

  7. não vi ainda o episodio [mais tarde…] porém pelas imagens parece algo bme interessante, porém ao mesmo tempo estranho a nivel de anime e por vezes complicado de se acostumar… sabendo que a direção e envolvidos é boa, acho que compensa a estranheza. Veremos.

  8. Nesse anime não tem mulheres entoa so homens @[email protected]
    parece 2 travecao essas minas no anime.

    de alto hype para dropado sem nen mesmo ter começado a assistir.

    Duvido que isso venda algum BD.

  9. Não seu se dropo este anime, ou pago pra ver até o episódio 05 … Não gostei do Design … Odiei a abertura, encerramento … O episódio foi parado DEMAIS …

    Mas sempre damos uma chance né. Tomara que a história melhore (não li o manga.) Pq geralmente não dropo o anime só pela aparência.

    Vamos ver, vamos ver u.u

  10. Caraca que povo chorão, se não gostou não assiste, fácil assim, a historia é boa e os desenhos tão correspondendo ao clima da história, vocês devem ser do tipo que só assistem animes porque acham o desenho bonito. o buraco é muito mais fundo do que vocês ficam comentando.

  11. Tinha grandes expectativas do anime , li um pouco o manga e fiquei esperando
    ansiosamente o anime, e me deparo com essa BOSTA, QUASE CHOREI DE TÃO FEIA
    QUE ERA AQUELA RAPARIGA ALI PQP. ELES FIZERAM UMA INCRÍVEL SACANAGEM COM O AUTOR DO MANGA. Emfim espero que este conteúdo seja
    APAGADO ETERNAMENTE da internet pra ninguém botar fogo em seus próprios olhos.

  12. Embora os personagens pareçam mais feios, (HUE) até que a animação ficou interessante. Gostaria de uma nakamura mais bonitinha, mas, fazer o quê, né? Espero que siga a história do mangá, pelo menos.

  13. O próprio autor desejou essa animação, e assim foi feito:

    – At first Nagahama (the director) refused the offer to direct the adaptation, because he thought that simply turning this manga into a pretty, clean-looking anime would be pointless. He says that he believes that when the mangaka draws this story he’s seeing something “else” which he expresses as a manga. So there would be no point in simply presenting it in animated form, at that rate you might as well just read the manga and be done with it.
    – He thought if it was to be adapted at all, it should be done as a live drama. When he was offered the job the second time, he pitched the idea of using rotoscope. He was aware that the result would be different from the manga.
    – Oshimi (the mangaka) says Nagahama is right about the way he creates the manga: the original story is something that exists in his head, and he draws what he sees in his mind. So basically the anime and the manga are two different versions of the story that exists in Oshimi’s head. By the way, he was also aware that due to the rotoscope the anime would look different from his work, and he thought it was an interesting idea.
    – Oshimi also says that he thinks Nagahama has a very deep insight into the story, and firmly believes that he’s taking it in the right direction. He also very much approves of Nagahama’s wish of the anime leaving the viewers with a scar.
    – Oshimi was pretty much “in” on the whole thing, they tested the rotoscope method on him.
    – The interviewer asks about the impact the visuals would have on viewers, and Nagahama says he’s well aware that a lot of people will go “what the fuck” and “this is gross,” “I hate this, I’m not watching this.” But he’s pretty much okay with that, too, because he thinks it’s fine as long as it leaves an impact on people. Viewers may dismiss it right away, but some may check it out later and find it interesting, or they may come across the manga, recognize the title, and read that.
    – Oshimi says that he once got a fan letter from a high school girl who wrote that when she read the manga in middle school she thought it was stupid, but she tried to read it again when she was older and she found it very good. Nagahama says that this is what he’s going for, to leave an impact, even if it’s negative. He’s trying to create something that one can’t just ignore or dismiss.
    – Oshimi also says that the anime has many scenes that he wishes he would’ve drawn the way they are in the anime, for example a scene with Kasuga and Nakamura in the classroom.
    – Also, he confesses he’s writing the manga with the intention of murdering the readers with it (metaphorically, of course), thinks the anime is doing the same, and relishes the idea of the viewers getting slaughtered, jokingly of course.

    They leave the following messages to the fans:
    – Oshimi: He guarantees that those who feel very strongly about Aku no hana will enjoy the anime. However, chara-moe types, those who go “Nakamura-san, unf unf” will probably feel betrayed.
    – Nagahama: Since it’s so different from the usual anime, he can’t say that everyone will love it. But those who watch the first episode and think “I want to see more” will not have their expectations betrayed.

    1. Genial, ele realmente conseguiu o que queria! xD

      Mas a sério, sei que isso aconteceu porque já vi o lançamento depois de apresentarem a polêmica e estava preparado para o que iria vir. Além disso também não li o mangá, por isso não poderia falar muito sobre adaptação. De calhar, talvez o fato de eu ter ido a uma apresentação de curtas-metragens experimentais na noite anterior tenha me facilitado a entrar no clima da abordagem, mas sinceramente não achei esse anime nada ruim.

      E quando digo isso é em relação a tudo. Realmente compreendo sobre as expectativas de todos, eu também estava esperando algo mais normal. No entanto depois que assisti já preparado para aquilo, não achei nada mal, muito pelo contrário, gostei muito do clima de tensão e poesia que o perdurou o episódio todo. Aquela musiquinha que deixa a nota suspensa durante um bom tempo cria uma tensão muito boa. Além disso a ambientação tava ótima. Considerando que é praticamente um Dorama(afinal, foram utilizados atores reais, só “animados por cima”) e considero o background de animação causa uma sensação bem mais bonita do que o real(dependendo claro, mas nesse caso, sim) foi praticamente um Dorama com um clima tenso e um background muito bonito. Se o público começar a encarar com um outro olhar esse experimentalismo, pode ter certeza que irão achar muita coisa boa, como eu achei.

      Vou continuar assistindo e pelo visto não irei me decepcionar. Mas tenho certeza de que o que vai acontecer é o que foi dito na entrevista acima. Muitas pessoas vão odiar agora, mas se reverem depois de um certo tempo, com um olhar já diferente, vão gostar muito. Podem ter certeza. É só esperar.

  14. Fiquei muito chateado com esse gráfico usado. Pode dar futuro a evolução e mudar o desenho dos personagens principais, porem acho que se fizessem um estilo um pouco mais tradicional apenas sabendo continuar com o background ficaria perfeito, pois o beckground esta ótimo.

  15. acho que pra maioria a primeira impressão do anime nao foi muito boa..mas não adianta fazer muito drama,ja tivemos outras decepções com adaptações antes e no futuro isso tbm voltara a acontecer,infelizmente é a lei da vida,nao da pra agradar todo mundo…
    até certo ponto achei interessantes eles terem baseado o traço em cima de uma filmagem com atores reais, ainda assim…Nakamura..*lagrimas*
    E para aqueles que só sabem reclamar,tentem usar um pouco o cérebro para medir suas palavras,antes de sair dizendo qualquer coisa que lhe vier na mente,pode ajudar…

  16. Realmente a historia é boa, não sei se posso reclamar da animação, apesar de tudo o cenário esta lindo.

  17. Eu não conhecia o mangá, na primeira impressão achei zuado, mais depois achei interessante, feio, mais interessante. Se você parar pra pensar todo manga é idealizado, todos são bonitos e gostosos. Nesse anime eles são mais próximos do real, e a padrão de beleza japonês está impresso neste anime, como as dobrinhas dos olhos (umas das coisas mais idiotas possíveis), ainda me incomoda ver o anime assim, mais fazer o que a realidade é assim (ou chega perto). É só ver fotos reais de alunos japoneses. http://www.dannychoo.com/#choose

  18. Eu adorei. Se alguma coisa decepcionar pode ser a história, já a arte gráfica eu achei excelente pra um anime pé no chão.

    1. preso no preconceito do gráfico?
      A é, esqueci que estamos em 2012 e todo mundo é obrigado a gostar de tudo, porque se não gostar é preconceituoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *