Gravitation

Um shounen-ai romântico não tão romântico assim.

Tenho o prazer de vos apresentar a mais nova Seção do Argama: Seção Yaoi. sem título porque não tenho criatividade para tanto

Pretendo mostrar alguns yaois clássicos e nem tão clássicos assim, seja em formato de mangá ou anime, OVAs, dramas, o que vier e meu chefe permitir. E para inaugurar esta seção, decidi escolher o meu primeiro anime yaoi. Sim, o primeiraço lá em meados de 2003: Gravitation.

Gravitation é um anime lançado no ano de 2000 (mais especificamente, teve início em outubro de 2000 e término em 2001), com 13 episódios exibidos na TV. Trata-se de uma série baseada no mangá de mesmo nome, da mangaká Murakami Maki, sendo um dos shounen-ai mais conhecidos pelo público em geral. Mas por que falar especificamente desse anime?

De todas minhas andanças pelo mundo fujoshi, o elemento constante é, com toda certeza, Gravitation. A maioria das pessoas que se lança ao mundo yaoi teve como primeira experiência este anime e isso perdura até hoje. Independente da qualidade ou não que possui, é mais do que evidente a importância que Gravitation tem para o shounen-ai e até mesmo para o gênero yaoi, uma vez que diversas pessoas buscam se aprofundar neste estilo partindo de Gravitation.

Apesar de tamanha importância, fato é que ele, apesar de ser shonen-ai, peca por não se focar tanto no aspecto romântico do relacionamento entre o casal de protagonistas. Ocorre que, ao mesmo tempo em que isso é um ponto ruim do anime, torna-se um ponto bom, pois a forma escrachada com que o espectador recebe os fatos faz com que Gravitation seja tão memorável e tão querido no mundo dos animes.

O anime conta a história de Shuuichi Shindou, um jovem cantor em busca de sucesso com sua banda Bad Luck – que conta com a presença de seu amigo Hiro Nakano. A princípio o anime parece mais um daqueles bobinhos de comédia pastelão sem compromisso com nada nem ninguém; e chega realmente a enganar a maioria dos desavisados, que pensam estar assistindo a mais uma comédia normal, inocente e… hétero. Ledo engano para o último, quanto aos demais pensamentos acertou em cheio.

Logo no primeiro episódio nos deparamos com Eiri Yuki, escritor de sucesso no Japão, que acaba por esbarrar com Shuuichi em um parque. Apenas a cena em si já nos dá uma prévia do que poderemos esperar de Gravitation: uma relação quase platônica de Shuuichi por Yuki. O último, ao ter acesso à uma letra escrita pelo cantor o chama de talento zero, iniciando assim a obsessão de Shuuichi por Yuki e a história do casal.

Infelizmente não se pode dar mais detalhes acerca dos acontecimentos posteriores, por estes configurarem spoiler. Entretanto é certo dizer que o primeiro contato físico entre ambos acontece nas cenas finais do primeiro episódio da obra.

O casal passa por diversos obstáculos durante a série, seja por causa da família de Yuki, pela carreira de Shuuichi ou até mesmo traumas passados. Entre esses problemas, temos o próprio descaso de Yuki para com Shuuichi, que se arrasta por quase toda a série. Este último, aliás, diversas vezes demonstra uma falta de amor próprio e uma veia masoquista ante um amor platônico tão doloroso que chega a ser engraçado. A forma como o cantor é tratado pelo escritor é tudo menos amorosa, carinhosa ou saudável. Contudo, esse é um dos elementos que tornam o anime tão engraçado e gostoso de se acompanhar.

O tema homossexualidade é tratado rapidamente e de maneira bem superficial e rasa, demonstrando que, apesar de ser um shounen-ai, a história tem maior engajamento com a comédia e não tanto com o conteúdo BL existente. Há sim alguns elementos que procuram trazer uma seriedade maior ao anime, tais como o risco que traz à carreira de Yuki o seu envolvimento com Shuuichi, bem como o seu passado obscuro e traumático; a “separação” da banda Bad Luck e até mesmo as ações dos membros de ASK contra o protagonista. Tudo isso, no entanto, fica completamente ofuscado pela solução cômica trazida a cada um dos problemas. Afinal de contas, que anime sério teria um protagonista solucionando sua vida amorosa devidamente vestido de cachorro ou banana?

No anime há vários personagens bem marcantes que dão um toque a mais à obra. Tais como Mr. K – o empresário psicopata da banda Bad Luck, que tem tara por armas de fogo (e as usa correntemente e das maneiras mais politicamente incorretas possível); Sakano – manager da banda, responsável por sua formação inicial e protagonista de vários momentos comédia pastelão do anime; Ryuichi Sakuma – vocalista da antiga banda Nittle Grasper, com uma personalidade quase bipolar, se mostrando uma criança em alguns momentos e em outros, sério e objetivo.

Sakuma, aliás, é um dos personagens que protagoniza as cenas mais nonsense de Gravitation, perdendo apenas para Shuuichi. Ryuichi chega até mesmo ao absurdo de andar carregando um coelho que, segundo o mesmo, possui vontade e personalidade próprias. Ademais, por ser vocalista da banda desfeita Nittle Grasper, é o maior ídolo do protagonista de Gravitation, se tornando amigos ao decorrer da história.

O anime conta com um visual bem colorido e um traço comum que não acrescenta nada, mas que ajuda ao clima descompromissado da série. A trilha sonora é bem condizente com o pop japonês que Gravitation busca retratar com as Bandas Bad Luck, Nittle Grasper e ASK, com músicas chiclete como as animadas Super Drive e The Rage Beat, até as mais “calminhas” Glarin Dream e Anti Nostalgic. Músicas estas que, por serem tão viciantes, acabam por serem algumas das preferidas entre as fãs do gênero.

Gravitation no final das contas é um bom anime para quem busca uma comédia sem compromisso e sem grandes reflexões acerca da história, vez que é carente de um enredo forte e robusto. O shounen-ai presente fica de certa forma de escanteio, sendo o ponto forte do anime as cenas cômicas. E é pelo fato de não tratar a relação Shuuichi x Yuki mais profundamente e romanticamente, que Gravitation não choca os espectadores menos acostumados com relações desse tipo, se tornando por este fato, um anime tão conhecido e tão aceito entre o público em geral.

Um shounen-ai romântico não tão romântico assim. Tenho o prazer […]

2 thoughts on “Gravitation”

  1. Comentando pro post nao ficar no vacuo.

    Acho que Gravitation trabalha melhor o lado nao tao fabuloso do mundo proficial musical que na homosexualidade. Engracado e que o casal principal avanca no status da relacao (o que e ate meio dificil em qualquer manga/anime comedia romantica) mas as brigas sobre a mesma coisa continuam eternamente.

    Emfim, o foco e a comedia mesmo. Recomendo o manga, que apesar de mais politicamente incorreto, e mais engracado e completo.

  2. Gosto do gênero yaoi e tive o prazer de não ter assistido Gravitation como primeiro anime.
    Imagino que a sua importância se deva pelo tempo em que um anime com teor yaoi declarado foi lançado, porque quanto a conteúdo ele é tão bagunçado e com tantos nuances que me deixavam perdido.
    O casal principal forçado e sem carisma, sem mais. Se tiver alguma intenção de continuar com essa seção eu sugiro Junjou Romantica ou Sekai-ichi Hatsukoi que são excelentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *