Julho/12: Apostas e Comentários

Hora de, em uma temporada que promete ser a mais fraca em um bom tempo, fazermos as costumeiras Apostas [Janeiro/2012 | Abril/2012] do que afinal estaremos assistindo nos próximos três [ou mais] meses.

Sim, de Sakamichi no Apollon a Fate/zero, muitos animes que começaram em Abril [e alguns outros que vinham de antes, como Aquarion EVOL] terminaram; mas o ciclo da vida dos animes continua e teremos por volta de trinta estreias em Julho de 2012.

Claro que faz parte do show errarmos: afinal, quem disse que Lupin Sansei: Mine Fujiko to Iu Onna prestou?, mas a proposta de apresentarmos os dados que podemos para ajudar na sua escolha do que assistir e do que não assistir continua mais do que válida – tanto é que as dois grandes exemplares da última safra [Apollon e Uchuu Kyoudai] eram Grandes Apostas deste blog.

Mas em uma temporada menor vale mais uma vez mudar as regras do jogo. E assim teremos uma nova configuração, que poderá ver abaixo, que tenta abranger literalmente todas as estreias balanceando ainda mais informação e opinião. Desta vez, com indicadores mais claros na medida para fazer este post cumprir o seu papel: auxiliar você na escolha do que diabos esperar de cada estreia. Como sempre, mãos à obra!

Grandes Apostas

Chouyaku Hyakunin Isshu: Uta Koi
TYO Animations, indefinido

[trailer]

Sinopse: Uta Koi conta a “interpretação super liberal” da antologia Hyakunin Isshu compilada durante o Período Heian que consiste em cem poemas românticos de cem diferentes poetas. Exemplo é Genji Monogatari, de Murasaki Shikibu.

Impressões: Argumento simples, mas que nas mãos sensíveis de Kenichi Kasai [Bakuman, Honey and Clover, Nodame Cantabile] e no horário que há pouco abrigou o fascinante Natsume Yuujinchou, podemos ter – mesmo que pelo estúdio pequeno que é o TYO Animations [Showa Monogatari, The Legend of Koizumi, Tamayura] – a surpresa da temporada, o cavalo negro a sombra dos parcos destaques que são Natsuyuki Rendezvous ou Sword Art Online.

Mesmo que irregular como o vagamente similar [no sentido de serem, de alguma forma, compilações de histórias] e amplamente subestimado Aoi Bungaku Series [que de alguma forma virou um pequeno cult], promete valer a pena tanto para quem quer algo diferente e com aquele toque intenso de Japão – e sem o tom diluído demais de Furusato Saisei: Nihon no Mukashi Banashi.

Por que assistir: Um raro josei; “diferente”; staff competente.
Por que _não_ assistir: Soa irregular e episódico demais; produção parece fraca.

Expectativa: Alta [8].

Kyoukai Senjou no Horizon II
Sunrise, 1-cour, continuação direta

[trailer]

Sinopse: Em uma terra distante, o Japão está dividido em territórios feudais; ainda não conquistada por outros países, a cidade de Musashi irá acender a chama da batalha – ameaçada, não tem outra maneira de manter seu povo seguro que não seja entrar nesta guerra. E com o destino do mundo em suas mãos, os estudantes de Musashi podem ter a chave para a vitória.

Impressões: Sem dúvida uma obra que divide opiniões: quem ama aprecia o vistoso trabalho de Manabu Ono a frente do estúdio de animação Sunrise, que juntos conseguiram adaptar o inadaptável colosso que é o primeiro livro da série [composta por tijolos por volta de mil páginas cada] para quatro horas de polida animação no qual o forte é a criatividade do autor para a construção de um mundo rico, complexo e surpreendente.

Quem odeia despreza o fato de termos um anime com personagens clichês [com um protagonista homem e tarado que resume o ame-ou-odeie da série] e roteiro somente acima da média cuja direção acaba sendo algo travada, com um começo que até os responsáveis admitem ser difícil e absolutamente confuso, sendo possível claramente ver que a obra não foi pensada para uma mídia audiovisual. E sim, é para fãs hardcore e tem apelo praticamente inexistente fora deste nicho.

Por que assistir: Boa mistura de ação, drama e romance; valores de produção elevados; muito criativo; protagonista diferenciado.
Por que _não_ assistir: Extremamente confuso; muito otaku; não flui tão bem como anime nesta adaptação.

Expectativa: Alta [8].

Natsuyuki Rendezvous
Dogakobo, 1-cour [noitaminA]

[trailer]

Sinopse: Um jovem com problemas na vista chamado Hazuki trabalha meio-período em uma floricultura e acaba se apaixonando pela dona, Rakka. Mas o que acontecerá quando ele descobre que em seu apartamento reside o espírito do homem que ela não consegue esquecer?

Impressões: Baseado em um manga josei concluído ano passado com somente quatro volumes publicado na mesma revista de Helter Skelter e Usagi Drop, todos estão apostando em uma obra absolutamente desconhecida simplesmente pela grife noitaminA e pela possibilidade desta premissa legal [mesmo que pareça ser difícil de ser executada da forma correta] resultar em uma obra ao menos boa.

O trailer está bonito, o staff é acima da média e os onze episódios são na medida para a história poder ser adaptada no ritmo certo – agora é questão de vermos os detalhes; do original às escolhas dos realizadores, tem tudo para dar certo e talvez chegar forte na disputa de anime do ano. Ou ser outro Toshokan Sensou, reconhecidamente legal, mas não o suficiente para ser lembrado.

Por que assistir: Sinopse interessante; chance de adaptação fiel de um josei; grife noitaminA.
Por que _não_ assistir: Sinopse que sugere certos exageros; cult/nicho demais para muitos; tendência a ser somente acima da média.

Expectativa: Alta [8].

Sword Art Online
A-1 Pictures, 2-cour

[trailer]

Sinopse: Um programador gênio chamado Kirigaya “Kirito” Kazuto entra em um mundo que combina realidade virtual com “MMO” chamado Sword Art Online. Não há escapatória dali a menos que o jogador termine o jogo; porém “morrer” durante o jogo significa a morte do jogador no mundo real.

Impressões: Do mesmo escritor do original de Accel World, que acaba tocando em temática similar, SAO é considerada de longe a melhor obra deste – e até na adaptação para anime acabou ganhado destaque – da animação de ponta [mesmo que genérica como sempre] do A-1 Pictures a um talentoso staff que envolve desde o diretor Tomohiko Ito [do irregular Occult Academy mas com boa passagem pelos estúdios MADHOUSE e A-1 ao longo dos anos] a trilha sonora da sempre elogiada Yuki Kajiura.

Sinopse interessante – e na medida para o grande público otaku, original elogiado, adaptação para anime sendo conduzida sem restrições orçamentárias e por pessoas competentes, quer mais o que? Anime mais popular de Julho – aliás, mais popular que vários atualmente no ar segundo o My Anime List. Pegue a sua pipoca, porque temos o substituto de Fate/zero no coração de muitos.

Por que assistir: Parte técnica excelente; sinopse cativante; baseado em um original de qualidade.
Por que _não_ assistir: Otaku demais; genérico demais para certos gostos.

Expectativa: Média-alta [7,5].

Pequenas Apostas

Binbou-gami Ga!
Sunrise, 1-cour

[trailer]

Sinopse: Ichiko Sakura é uma garota de 16 anos que vive a vida boa e é abençoada com beleza, inteligência e saúde. Tem bastante “Energia da Felicidade”, que pode fazer as pessoas felizes, mas a custo dela absorvê-la de seu redor. Isto causou uma quebra no balanço da energia no mundo e assim torna-se alvo de uma Deusa da Pobreza chamada Momiji. O objetivo de Momiji é remover este poder de Ichiko para que a energia volte para seu lugar de origem.

Impressões: Manga da JUMP SQ. famoso por ser uma comédia deliciosamente aleatória, ganha adaptação em anime [no horário de Medaka Box, que provavelmente volta em Outubro] pelas mãos do “segundo diretor” de Gintama, o anime aleatório de comédia.

E se o Sunrise adaptou no começo do ano o pouco assistido mas muito elogiado Danshi Koukousei no Nichijou com algum resultado, o que dizer quando agora temos uma sinopse realmente interessante como plano de fundo das piadas aleatórias a serem entregues aqui; claro que está longe de ser para todos [mesmo Gintama’ é tremendamente desprezado por essas bandas do mundo], mas podemos ter aqui se bem-feito uma boa e grata surpresa.

Por que assistir: Staff competente; baseado em original de qualidade.
Por que _não_ assistir: Humor aleatório/”gritado” demais para muitos; para fãs de comédia em anime.

Expectativa: Na média. [6]

Joshiraku
J.C.STAFF, indefinido [provavelmente 1-cour]

[trailer]

Sinopse: Baseado no manga de Kouji Kumeta [Sayonara, Zetsubou-sensei], um grupo de artistas de rakugo discutem assuntos aleatórios e geralmente chegam em uma conclusão engraçada e/ou inesperada que acaba estando bem longe do assunto inicial.

Impressões: Manga de comédia do autor de Sayonara, Zetsubou-sensei ganha adaptação animada pelo diretor de Bokusatsu Tenshi Dokuro-chan e Shinryaku!? Ika Musume. Nem o J.C.STAFF pode estragar isso, mas será mesmo que algo cem por cento baseado em entrega de piadas e situações engraçadas [com um toque de reflexão] da maneira mais simples possível pode realmente dar certo?

Pode, mas o risco de ser simplesmente mediano [a ponto de ser ignorado] existe, basta um Tsutomu Mizushima pouco inspirado para isto acontecer. E é isto, somente isto, que impede Joshiraku de ser uma Grande Aposta deste blog para Julho – mas seguramente é uma Pequena Aposta e forte candidato a dark horse da temporada.

Por que assistir: Promessa de diálogos bem-feitos e críticos neste quase superflat; bom staff
Por que _não_ assistir: Conceito que precisa ser muito bem-executado para dar certo.

Expectativa: Acima da média. [7]

TARI TARI
P.A.WORKS, 1-cour

[trailer]

Sinopse: Sakai Wakana já estudou música, mas acabou parando após perder sua mãe. Miyamoto Konatsu é uma garota que pensa positivo e ama cantar e passar tempo depois da aula no clube de canto. Okita Sawa é membro do clube de arco-e-flecha cujo sonho é se tornar uma cavaleira. E a música irá unir essas garotas – e outros – em um grupo no último verão delas no Ensino Médio.

Impressões: A roupagem pode ser levemente diferente de Hanasaku Iroha, o projeto comemorativo de dez anos do já respeitado estúdio P.A.WORKS [conhecido por seus belos cenários e uso geral de fotografia e design já característico], a intenção aqui é absolutamente a mesma: encantar os otakus com uma mistura de anime kuuki-kei [relaxante] e drama no qual meninas lindas o bastante para render boas figures e serem belas waifus são o centro das atenções.

HanaIro, com seus 2-cour, acaba se perdendo em vários aspectos e sendo absolutamente mediano, mas aqui temos potencial – tanto pelo menor tempo quanto por não dependemos tanto de somente uma personagem ame-ou-odeie como na obra anterior – não para o anime do ano, mas pelo menos para o anime moe do ano [pelo menos até Hidamari Sketch x Honeycomb, em Outubro]. Para fãs de meninas moe.

Por que assistir: Parte técnica linda; promessa de ser bom representante do gênero.
Por que _não_ assistir: Somente para fãs de moe e relacionados.

Expectativa: Acima da média. [6,8]

Quem Sabe…

Kingdom
Studio Pierrot, 38 episódios

[trailer]

Sinopse/Impressões: Mais no review do Primeiro Episódio. Basicamente, mais um seinen com profundo gosto de battle shounen com começo mediano mas simpático. Pode melhorar, pode simplesmente continuar esquecível.

Por que assistir: Simpático, contém a ação e o drama que tantos adoram; 38 episódios são ideais para quem procura obras mais longas.
Por que _não_ assistir: Animação em 3DCG demasiadamente artificial; parece mais do mesmo; 38 episódios podem ser longos demais para muitos.

Expectativa: Na média. [5]

Koi to Senkyo to Chocolate
AIC Build, 1-cour

[trailer]

Sinopse: Yuki, que quer se apaixonar, e Chisato, que não curte chocolates, são amigos de longa data e estudantes do mesmo colégio; além disso, fazem parte do clube da comida com sua colega de classe Mifuyu, sendo que na verdade não fazem nada a não ser conversar. Mas um dia Satsuki, candidata a presidência do conselho estudantil, promete fechar os clubes que não fazem nada e para impedi-la alguém terá que se lançar candidato – mas quem? Sim, Yuki – para salvar o clube, ele só precisa se tornar o próximo presidente!

Impressões: As garotas parecem ser adoráveis. E só. Sendo que nem um character design refinado como o de Ore no Imouto ou bonito como o de Amagami SS temos aqui.

É aquilo: vai ser o mesmo de sempre porque os japoneses [e muita gente por aqui também] quer ver isso, o mesmo de sempre. Protagonista, garotas bonitas, pseudo-romance, pseudo-comédia, clichês, etc.. Mesmo assim, tem os animes que fazem isso da forma certa e os que fazem da forma errada; como OreImo e HaGaNai, KoiChoco parece ser a terceira incursão seguida do AIC Build que ao menos vai passar no teste dos fãs. Fãs, assistam. Não-fãs, não assistam. Simples assim.

Por que assistir: Mais um anime moe/harem/ecchi na medida para ser mediano.
Por que _não_ assistir: Mais um anime moe/harem/ecchi na medida para ser medíocre.

Expectativa: Na média. [5]

Muv-Luv Alternative: Total Eclipse
Ixtl e Satelight, indefinido [provavelmente 1-cour]

[trailer]

Sinopse: Em 1973, extraterrestres conhecidos como BETA [Seres do extra-terrestre Orion que são adversários da raça humana] invadiram a Terra, sendo que a Eurásia desapareceu e bilhões de pessoas morreram; o motivo pelo qual a humanidade ainda sobreviveu foi a existência de TSF [os robôs gigantes do trailer]. Em 2001, Yui Takamura, piloto de TSF japonesa, é enviada para o Alasca em um projeto conjunto com os Estados Unidos e a Rússia para uma nova geração de robôs; lá encontrará outros jovens pilotos e assim começa a história…

Impressões: Um eroge da mesma produtora de Kimi no Nozomu Eien com duas partes: uma tradicional, com romance e o mesmo de sempre, e outra que inclui mechas e ETs: adivinha qual fez sucesso?

Após jogos, mangas e universos alternativos surgidos desde o jogo de 2003, finalmente Muv-Luv chega com uma adaptação da Light Novel spin-off Total Eclipse como sua primeira produção animada – e quem melhor que o Satelight de Aquarion EVOL e Macross F para dar vida a essa mistura de sci-fi e… anime? [se vocês me entendem]

Ao contrário de um Infinite Stratos em que a primeira coisa que o anime faz e deixar claro que não existe perigo, aqui a ação e construção de universo serão intensas; e pelo menos lá fora [a rejeição ao gênero mecha no Brasil, mesmo quando abordado somente de forma tangencial, é ridícula] deve ser um dos nomes mais populares da temporada. As “credenciais” das garotas falam por si, não?

Por que assistir: Ação em mechas; parte técnica sólida; construção de mundo interessante.
Por que _não_ assistir: Personagens clichês; tendência a ter o ecchi/harem/escolar que tanto divide opiniões; tudo aponta para um anime mediano.

Expectativa: Na média. [5,5]

Erm…

Hagure Yuusha no Estetica
ARMS, 1-cour

[trailer]

Sinopse: Tetas.

Impressões: Poderes especiais, lutas, escola, harem de garotas fartas [se vocês me entendem] – sim, como HighSchool DxD, Sekirei, vocês sabem. E claro, do mesmo estúdio de Queen’s Blade e Hyakka Ryouran ~Samurai Girls~. Em resumo: tetas…

…censuradas até os respectivos Blu-Ray. *assim, assista os quatro animes citados neste parágrafo, dica*

Por que assistir: Tetas.
Por que _não_ assistir: Tetas.

Expectativa: Tetas. [*]

Jinrui wa Suitai Shimashita
AIC ASTA, 1-cour

[trailer]

Sinopse: Em um mundo aonde fadas de 10 centímetros de altura que curtem doces tem um papel relevante, estes acabam precisando de embaixadores como a protagonista de voz açucarada para se entenderem com os seres humanos.

Impressões: Netotin ama este anime: a protagonista é uma fofa, a música é tão calma e gostosa de ouvir – e a abertura é daquela menina de Hanasaku Iroha -, parece ser o anime ideal para o mascote assistir enquanto toma um achocolatado enquanto o dono dorme, netin~

Ah, o clima lembra Ikoku Meiro no Croisee, só que com fadas. Será que as fadas querem brincar com Netotin? >___<

Por que assistir: Relaxante e calmo.
Por que _não_ assistir: Tão fofo que dá diabetes; somente para fãs hardcore de moe.

Expectativa: Baixa. [4]

La storia della Arcana Famiglia
J.C.STAFF, 1-cour

[trailer]

Sinopse: Arcana Famiglia é uma organização com poderes misteriosos que protege uma pequena ilha do Mediterrâneo de piratas, países estrangeiros e outras ameaças. A filha única do Papa da família, Felicita, irá se casar com o próximo chefe desta em dois meses – sendo que este será decidido em uma competição aonde inclusive a própria – que não quer se casar – participará.

Impressões: Belos homens com um background “mafioso” lutando pel entre si para conseguir um prêmio: a cabeça da família, que envolve casar-se com uma garota que não está afim disso. É criativo, mas ainda assim é um harem reverso daqueles com cara de ter um excelente Primeiro Episódio explorando sua premissa para logo depois cair no marasmo e nos clichês.

J.C.STAFF e Chiaki Kon [Junjou Romantica, Sekai-ichi Hatsukoi] parecem garantia no máximo aceitável, e provavelmente mediano em todo e qualquer aspecto – não foi assim que Hiiro no Kakera se desenvolveu ao longo da temporada anterior a esta?

Por que assistir: Harem reverso com premissa interessante; protagonista aparentemente longe da apatia de outros animes do gênero; toques de battle shounen.
Por que _não_ assistir: Staff e produção medianos; forte tendência a apresentar todos os clichês do gênero.

Expectativa: Média [5].

Tanken Driland
Toei Animation, indefinido [provavelmente 2-cour]

[trailer]

Sinopse: Devido a influência de alguém que visitou sua cidade natal quando era só uma criança, a Princesa Mikoto de Elua decide tornar-se uma caçadora e buscar por tesouros por toda a terra de Driland. Ela embarca em sua jornada com seu assistente pessoal Wallens, mas logo eles se juntam a Pollon, um caçador que sonha em ser um heroi e Paan, um cavaleiro andante. E enquanto eles continuam sua exploração, começam a sentir que um grande perigo se aproxima.

Impressões: Anime de ação feito para vender jogos para celular. E bonecos. E outros tipos de merchandising. Nada contra, mas o fato da animação ser em SD [Super Deformed] mata qualquer possibilidade da obra ser mais que meramente um caça-níqueis feito por um time mediano e sem dinheiro nem liberdade de fazer qualquer coisa. Será passado despercebido, anotem.

Por que assistir: Boa dose de ação e fantasia; parece ser simpático.
Por que _não_ assistir: Animação em SD; projeto com cara de mediano; para fãs de ação e fantasia – e só.

Expectativa: Baixa. [4]

Continuações

Nos casos presentes abaixo iremos tratar de obras que chegam a continuações diretas sem que o autor do texto tenha visto a Primeira Temporada; nestes casos, que vocês fiquem com uma recomendação de review [geralmente da otakusfera gringa, afinal faltam mais reviews aqui e nos demais blogs brasileiros] e a impressão geral do fandom para facilitar a sua vida.

Dog Days Dash
Seven Arcs, 1-cour

[abertura da primeira temporada]

Continuação do anime de Abril/2011 dos mesmos realizadores de Mahou Shoujo Lyrical Nanoha que conseguiu atrair público basicamente por ser fofo. Até a guerra entre cães e gatos é fofa, e o foco são nos fofos personagens interpretados pelos melhores dubladores que o Japão pode oferecer [incluso abertura por Nana Mizuki e encerramento por Yui Horie] – também presente fofa ação neste anime com um fandom fofo o suficiente para comprar os BDs. Entretenimento fofo, vendeu o bastante para a provavelmente fofa Segunda Temporada.

Hakuouki: Reimeiroku
Studio DEEN, 1-cour

[abertura da primeira temporada]

O harem reverso de ação [diferente de um shounen com toques disto, como Brave 10] que é referência no gênero [apesar de ser considerado somente mediano] chega a sua Terceira Temporada [descontando a mini-temporada de OVAs já lançada e lembrando que temos um filme a caminho] para contar afinal de onde veio a fictícia Shisengumi presente aqui; e sem a garota protagonista desta adaptação de otome game [jogo no qual uma garota cai no colo de belos e variados rapazes entre os quais pode escolher um para chamar de seu], a tendência é foco ainda maior na ação e claro, nas insinuações yaoi entre os rapazes.

Moyashimon Returns
Shirogumi Inc., 1-cour

[abertura da primeira temporada]

Slice-of-life. Mas vez de meninas fofas como de costume, bactérias fofas que só o protagonista consegue ver a olho nu – e se comunicar. Esquisito, mas interessante para criar um fio de interesse na inicial na audiência e trazê-la para apreciar uma obra focada em interessantes e carismáticos personagens aonde a comédia sem dúvida é um ponto alto. Sem dúvida um daqueles noitaminA que infelizmente poucos viram em 2007, tem status de cult mais que merecido.

Rinne no Lagrange 2nd SEASON
XEBEC, 1-cour

[abertura da primeira temporada]

Continuação do anime em split-cour [1+1 cour] que estreou em Janeiro/2012 e divide opiniões na sua mistura de ação com mechas, comédia e drama que se passa na ensolarada região litorânea de Kamogawa. É considerado charmoso e com personagens e enredo divertidos, mas que se contenta em ser mediano – e este é tanto o tom da crítica quanto o reflexo da recepção morna entre o público em geral, do japonês até o ocidental.

Yuru Yuri♪♪
Dogakobo, 1-cour

[abertura da primeira temporada]

Continuação do slice-of-life de 1-cour que passou em Julho/2011 e fez sucesso devido a suas personagens carismáticas, desenhadas de forma igual, dubladas com energia por [na época] novatas e presentes em um anime que desde o nome é carregado de subtexto yuri. Quem ama afirma que é engraçado, aleatório, pirado e que a animação é boa; quem não, que é terrivelmente mediano e chato. Para fãs de moe e yuri, você é um deles?

Quer uma segunda ou até terceira opinião? Artigos dos parceiros abaixo:
Anikenkai | Chuva de Nanquim | Elfen Lied Brasil | Gyabbo!

Artigo escrito em colaboração com @josikm

Hora de, em uma temporada que promete ser a mais […]