Nahel Argama Awards 2011, Lado B

Enquanto outros blogs como o Gyabbo, MBB Anikenkai ou Troca Equivalente já tem seus Melhores do Ano, ainda estamos na fase de aquecimento para o Nahel Argama Awards – afinal, ter que explicar em torno de vinte categorias [além de apontar e detalhar os dez Melhores Animes de 2011] prova-se tarefa razoavelmente árdua. Mas mesmo com tantas categorias, sempre falta algo a ser dito – ainda mais se forem levados em conta dados menos importantes e óbvios mas mesmo assim interessantes – claro, de uma maneira algo galhofeira. Então, que tal começar por este Lado B dos melhores do ano, em suas sete pequenas e diferentes categorias?

Fanservice Criativo do Ano

Fractale

Você pode procurar o quanto quiser n’O Melhor de Guilty Crown que não vai achar algo como a imagem acima. Ou esta outra. Yutaka Yamamoto pode ter falhado em muita coisa no anime de sua vida, mas com certeza o ecchi e o fanservice meticulosamente planejado para soar natural não está incluso nesta lista.

Melhor Anime que Nem Você Assistiu

Hyouge Mono

No momento de lançamento deste artigo, trinta e seis dos trinta e nove episódios planejados já exibidos no Japão; enquanto isso, somente dez foram legendados em inglês. O Lancaster avisou e os fansubs cumpriram a risca. Assim, o melhor jeito de você acompanhar este anime que apenas uma ou outra alma penada assiste é ler os posts do Star Crossed Anime Blog sobre o assunto. Enquanto isso…

Melhor Construção de Mundo

Kyoukai Senjou no Horizon

Em um futuro distante, houve necessidade de recomeçar a história de nosso mundo. Então os humanos subiram aos céus como deuses, mas quando terminaram de guerrear eles perderam o poder que um dia tiveram; então, eles foram forçados a retornar à Terra.

Mas a natureza do planeta havia tornado-se hostil – os Estados Divinos eram o único lugar habitável restante. Então, para retomar a antiga prosperidade a humanidade usou um registro histórico chamado Testamento como um guia, dividindo os Estados Divinos no mundo real tendo uma cópia, os Estados Divinos Harmônicos, para reproduzir a história do homem.

Porém os Estados Divinos cometeram um erro enquanto repetiam a história da Idade Média; isto resultou na queda dos Estados Divinos Harmônicos, convidando outras nações a invadir e conquistar os Estados Divinos do Extremo Oriente.

Os reis juntaram forças com os senhores feudais da terra. Atualmente, os senhores do Extremo Oriente e herois de vários lugares do mundo estão revivendo a Era Sengoku e a Guerra dos Trinta Anos enquanto batalham pela dominação mundial. – Kyoukai Senjou no Horizon, episódio 1, 22min35~24min05s.

Melhor Música de KPop em Anime

Ao no Exorcist ED 1 – Take Off

O melhor gênero de música do mundo¹ aos poucos vem invadindo a cena dos animes – e após verdadeiros chicletes como Share the World terem aparecido inclusive no mainstream One Piece, aqui temos em Ao no Exorcist a boa música do conhecido 2PM – agora em empreitada japonesa – Take Off. Simples e muito eficiente, nisso lembra o encerramento de Durarara!! Trust Me – que mostra que sim, o KPop já começa a expandir seus tentáculos também no Japão.

Momento Politicamente Incorreto em 2011

Kyoukai Senjou no Horizon e Yondemasuyo, Azazel-san

Tendência Muito Muito Específica do Ano

Lolis Detetives [Dantalian no Shoka, GOSICK, Kami-sama no Memo-chou]

Em uma mídia que se preocupa principalmente em agradar a um nicho muito pequeno de consumidores vorazes que adotam anime praticamente como seu estilo de vida, não é incomum surgir tendências específicas até demais – exemplo máximo são as imortais clones de Rei Ayanami [Evangelion], todas tímidas e de cabelo azul e curto, sendo que Yuki Nagato [Suzumiya Haruhi] até conseguiu ultrapassar a barreira do clone e tornar-se referência por si só.

Poderíamos estar falando de todas as meninas cantoras, de Guilty Crown a Kyoukai Senjou no Horizon, que estão assolando os animes mas o que realmente chamou a atenção de muitos foram as detetives de corpo inversamente proporcional a inteligência que da superior Victorique de GOSICK a não tão interessante Alice de Kami-sama no Memo-chou marcaram levemente sua presença em 2011.

Infelizmente, as vendas das três obras citadas foram pífias – o que talvez mostra que os otakus preferem suas lolis sem inteligência, sendo que o sucesso de Ika Musume e Milky Holmes, famosos por suas personagens burrinhas, parece apontar nesta direção.

Uadarréu de 2011

DOG DAYS

O Japão é cheio de valorizar animes que são amplamente desprezados no Ocidente – para ficarmos em exemplos dos últimos anos, Macross F, Saki e Tantei Opera Milky Holmes. Com um pouco mais de conhecimento e capacidade de abstração para tentar entender o que passa na cabeça do otaku japonês, que até pela cultura possui em seu inconsciente coletivo valores diferentes dos nossos, dá para assimiliar o porquê de tais séries terem sido o sucesso que foram.

Geralmente ao menos boas dentro de sua proposta, possuem elementos que atraem o público e levam-no a dar certo valor a estas séries; da direção efetiva do primeiro ao bom timing cômico na metade do último, as obras citadas acima conseguem satisfazer o espectador. E DOG DAYS, como fica?

Duas tentativas, quatro episódios assistidos depois e temos uma obra incrivelmente mediana; um bom termo para ser usar é medíocre – como apontado no dicionário, “mediano, trivial, que está entre o grande e o pequeno”. Confiando nos reviews que não apontam uma crescente na série, fica a dúvida, por que isso faz sucesso?

Certo, temos um elenco fantástico de dubladores [talvez o melhor do ano como um todo] e a série é moe~, é fofa quase ao ponto do inofensivo. Mas é tudo que conseguimos apontar de positivo em uma obra que conseguiu destaque suficiente para chegar tranquilamente a sua segunda temporada. What. The. Hell.

E aguardem – o Nahel Argama Awards 2011, o de verdade, foi adiado mas um dia sai. Só ter um pouco de calma. Até a próxima.

¹ – Ironia, pessoal. Vocês acham mesmo que…

Enquanto outros blogs como o Gyabbo, MBB Anikenkai ou Troca […]

10 thoughts on “Nahel Argama Awards 2011, Lado B”

  1. WOW, excelente escolhas de categorias.

    Dog Days tem segue a formula básica pra fazer sucesso. Nem precisa ser bom, que vai vender sempre. Eu achei até bonzinho, apesar de dispensar grandão o fanservice. Mas e ai, não sou o público alvo daquilo e é justamente por focar no público alvo, que vende.

  2. Finalmente alguém citou Hyouge Mono, o anime é simplesmente fantástico! Fico feliz que ele não foi esquecido de ser o mais esquecido de todos.

  3. @Suzi: Velado? Imagine se não fosse.

    @cesarartennou: 🙁

    @Roberta Caroline: Discordo. Não entendo o sucesso de DOG DAYS justamente por não ter destaque nenhum pra isso. Yuru Yuri é divertido na medida certa para os fãs de 4koma e derivados, Hanasaku Iroha tem os melhores cenários em anime em um bom tempo, mas… e DOG DAYS?

    @rubiopaloosa: Bem, ainda teremos as “normais de sempre”. Pode se decepcionar – e não se esqueça de comentar por lá.

    @seapher: Está na minha lista, o difícil é saber que só em 2013 deve terminar de ser legendado. Que nem Souten Kouro, transmitido em 2009 e que foi ser legendado por completo só no final de 2011. Triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *