Persona 4 the Animation 01, Versão do Diretor: Analisando as Diferenças

Como podemos ver aqui em mais um ranking semanal de vendas de DVD+BD via Oricon e Anime News Network, Persona 4 the Animation já vendeu mais de trinta e cinco mil cópias de seu primeiro disco. Claro que devemos lembrar que um dos fatores deste sucesso absurdo, o fato do primeiro disco – sempre o mais vendido, afinal se for para ter uma lembrança de uma série que gosta mas não a ponto de realmente colecionar, o que faria? – ter sido convenientemente vendido pela ANIPLEX com apenas o primeiro episódio ao módico [para os padrões horrendos de preço de anime no Japão] valor de 4200 ienes; sendo que ao comprar pelo conhecido amazon.jp temos o preço de 3000 ienes para um episódio que costuma valer pela excepcional embalagem [capa, imagens e todos os fru-frus imagináveis]; portanto isso não irá se repetir.

Mas pode ter certeza que o sucesso da série que adapta de forma apenas razoável o jogo [tanto que a recepção do fandom é somente fria] irá se manter, de forma mais contida, pelos oito volumes restantes. Afinal, é o anime fiel ao básico de Persona 4, e isso é mais que o suficiente para muito fanboy mostrar o lado cego da palavra e realmente comprar mais um produto relacionado a sua paixão.

Interessante é ver que neste Primeiro Episódio, temos no Blu-Ray praticamente o que podemos chamar de uma Versão do Diretor deste, contendo 28min20s de duração face aos 24min10s que é padrão para as obras transmitidas no MBS [na verdade, são 24min30s mais 10s anunciando os patrocinadores duas vezes por episódio]. Oba, quatro minutos a mais, o que será que foi adicionado à obra?

Para começar, algo definitivamente tosco e que mesmo alguém que não jogou Persona 4 tem de achar esquisito é a introdução da abertura da série, na versão sem créditos [diversas aberturas são planejadas com os créditos e ficam melhores com eles, mas entende-se a opção de muitos em recusá-los] em sacríficio da ótima sequência de Narukami chegando em Yasoinaba com créditos e Pursuing my True Self, a música de abertura do jogo original, tocando.

O que na versão na TV mereceu verdadeiros orgasmos por parte principalmente dos fãs de longa data da franquia, nesta versão do diretor tornou-se até conveniente fria, tão fria quanto a personalidade inicial do protagonista.

Depois [em 6min47s], logo após o protagonista chegar na casa de seu tio, os dois tem juntamente com a pequena Nanako um jantar de boas-vindas que é logo interrompido por uma ligação do trabalho do detetive, que logo sai. A seguir, a triste Nanako explica que a vida de seu pai é assim mesmo antes de ligarem a TV justo no momento de um comercial do Junes, loja de conveniência que terá papel na história.

Já em 12/04/2011 [9min30s no vídeo], antes do protagonista chegar na escola temos outra cena que ajuda a ambientar o clima da série, com Yousuke caindo de bicicleta no caminho da escola – algo que será retomado logo a seguir. Realmente por enquanto é “melhor deixar ele pra lá”. E logo antes de sair da escola [12min28s], temos uma rápida conversa entre Chie e Yukiko – sendo que um perigoso stalker acompanha a conversa.

Além disso, somente o encerramento, obviamente também já presente neste primeiro episódio, marca presença neste Primeiro Episódio que aparentemente não recebeu melhorias e retoques significativos na qualidade de animação feito pelo AIC ASTA. Claro que cenas a mais são uma delícia – e descontando a frustração com não termos a música de abertura do jogo aqui – valem a pena estarem presentes nesta adaptação considerada por muitos corrida demais, sacrificando diversos elementos do jogo [que, convenhamos, é de difícil transposição para outra mídia] para caber em 2-cour ou 25 episódios.

E lembre-se, no Seu Porto Seguro para Animes deveremos ter mais destes artigos; afinal, por que não rever seu anime favorito ou mesmo assistir aquela obra que acabou perdendo quando da exibição, ainda mais com mimos como estes?

Como podemos ver aqui em mais um ranking semanal de […]

One thought on “Persona 4 the Animation 01, Versão do Diretor: Analisando as Diferenças”

  1. Como um dos fanboys que você citou, fiquei decepcionado com a versão em BD do primeiro episódio por não conter a abertura do game, perdi boa parte do meu entusiasmo inicial com isso, além disso as cenas adicionais não são relevantes e duvido que possa ser chamado de uma versão do diretor esse episódio do BD, é apenas uma versão estendida.

    Também há o preço abusivo, acho que essa venda de BDs no Japão é extorquimo consciente do ponto de vista ocidental, eles poderiam facilmente vender uma série completa em 1 ou 2 BDs, já que raramente há trilhas de som adicionais e quantidade de extras no disco chega a ser irrelevante. Podem justificar que eles tem que cobrir os custos da animação e ter o seu lucro com a venda dos BDs, mas o conteúdo disponibilizado não é aceitável pelo preço praticado, acho que a indústria de animação japonesa tem de repensar e muito sobre esse formato atual.

    Mas não existe apenas o meu desgosto, já que a qualidade de som e imagem em alta definição do blu-ray não se compara a da transmissão da TV e quem tiver um aparelho de tela grande e um som de 5.1 canais, tem uma experiência completamente diferente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *