Tag Archives: Monster

Monster terá série live action por Guillermo Del Toro e HBO!

28544-Monster

A HBO e o diretor Guilhermo Del Toro se uniram para dar vida a uma série live-action baseado no mangá Monster de Naoki Usarawa para a televisão. Del Toro irá co-roteirizar a série ao lado de Steve Thompson, que fez excelentes trabalhos em Sherlock e Dr. Who!

Sem dúvida uma notícia chocante vide o peso dos nomes envolvidos na produção. A HBO, para quem não sabe, tem tradição de fazer séries de altíssima qualidade. Dentre elas, uma em grande destaque atualmente, é Game of Thrones! Já Guilhermo Del Toro teve destaque quando dirigiu Labirinto do Fauno e as adaptações de Hellboy para o cinema, além de ter atuado em diversos roteiros, como o de O Hobbit.

Em resumo, temos uma parceria excelente e que tem tudo para dar certo. Del Toro parece ter tido papel fundamental em convencer Naoki Urasawa a autorizar o projeto, o que nos faz crer que o autor está satisfeito com o que lhe foi prometido. Eu acredito que Naoki não iria autorizar algo de baixa qualidade ser baseado em uma de suas obras, principalmente Monster.

Agora nos resta saber como ficará a adaptação. Espero que eles a mantenham o mais fiel possível, mudando só o necessário para se adaptar ao novo formato!

Para quem não conhece, Monster conta a história de um jovem médico japonês que mora na Alemanha e sua jornada por parar as ações de um sociopata. Claro que a história não se limita a isso, mas é melhor não falar muito e fazer vocês lerem o mangá, que atualmente está em publicação pela Panini, ou esperar pela série, que ainda não tem maiores detalhes divulgados.

>> Guillermo Del Toro + HBO team up for live action Monster

Leia também no Genkidama:

Avaliação de Monster Vol. 1 pela Panini – Gyabbo

 

A HBO e o diretor Guilhermo Del Toro se uniram […]

Panini trás de volta One Piece, Dragon Ball e Monster, anuncia 20th Century Boys e muito mais!

Não é comum aqui no Anikenkai eu postar notícias. Porém, essa é digna de nota. O JBox e o Panini Fã postaram agora a pouco os lançamentos da editora Panini para 2012 e, em destaque, estão o retorno de One Piece e Monster! Títulos que foram paralisados pela Conrad anos atrás e que deixaram muitos fãs órfãos. Outro destaque fica para o anúncio de 20th Century Boys, obra do mesmo autor de Monster, Naoki Urasawa e pela volta de Dragon Ball

One Piece voltará ao Brasil em publicação mensal desde o volume 1, mas também será publicado de onde parou pela Conrad em publicação bimestral. Ou seja, teremos dois lançamentos de One Piece simultâneos para agradar a velhos e novos fãs. Percebe-se que a Panini está com fé em seu novo título e deveria mesmo estar! Após as divulgações, a série conquistou o 1º lugar dos Trending Topics Brasil (os assuntos mais comentados no Twitter pelos brasileiros). Um feito que eu não me recordo de ter visto em outras oportunidades.

Monster e Dragon Ball ainda não tem maiores detalhes sobre seu formato de publicação. Sabe-se que será em tankobon, mas não se será publicado de onde parou ou desde o volume 1. Em Dragon Ball ainda tem o fato de saber se irão continuar a “edição definitiva”, interrompida pela Conrad, ou publicar no formato padrão da editora mesmo. Pessoalmente acredito que ambos serão publicados desde o começo, mas torço para que não. Diferente de muitas pessoas, eu nunca fui atrás do final de Monster após o fim de sua publicação. Sempre acreditei que ele retornaria ao mercado e eu poderia finalmente ler o final.

20th Century Boys virá provavelmente só quando terminarem Monster. Esse é o método usado pelos japoneses para autorizar a publicação dos mangás de Urasawa. Publica um, depois o outro. É ver se a Panini irá seguir esse método ou conseguiu um acordo especial para essa publicação.

Como fã de One Piece e de Urasawa, estou muito feliz com o que foi divulgado e vendo a reação do pessoal no Twitter posso dizer que a Panini também deve ter ficado. Fico triste, no entanto, pela JBC, que a cada dia atrasa mais e mais a republicação de Sakura Card Captors (algo que realmente animou os fãs) em favorecimento da republicação de Cavaleiros do Zodíaco em qualidade sofrível. É bom o Marcelo Del Greco abrir o olho… e que os responsáveis pela JBC percebam que ter um “diretor de conteúdo” como ele a frente de sua linha de mangás já está pra lá do prazo de validade. Afinal, a opinião do cara sobre o mercado  gente já sabe… (1 e 2)

Não é comum aqui no Anikenkai eu postar notícias. Porém, […]

Boku wa Tomodachi ga Sukunai – O ‘guilty pleasure’ da temporada?

Na temporada passada, eu tive uma grata surpresa com o anime Mayo Chiki, que, apesar de ser voltado para o ecchi, continha um “quê” a mais. Não se limitava simplesmente a explorar o ecchi e esquecer de todo o resto. Tinha bons personagens, boas situações e uma história decente. Não era um grande anime, mas foi divertido e não ofendeu. Sem dúvida valeu a pena ter assistido. Era o momento de relaxamento e curtição da semana.

Com Boku wa Tomodachi ga Sukunai meu sentimento foi bem parecido. Era um anime que eu nem assistir estava planejando, mas como estava com um tempo livre, resolvi pegar e curti o primeiro episódio. Temos personagens que podem ser bem desenvolvidos e uma situação um tanto curiosa e interessante. Sem dúvida teremos altas doses de momentos ecchi, mas será que Haganai, como também é chamado, conseguirá ser algo além disso? A promessa é que sim.

Hasegawa é um aluno que foi transferido há pouco tempo para a St. Chronica’s Academy, uma escolha católica. Ele tem dificuldades para fazer amigos pois sua aparência o faz parecer um delinquente e os boatos a seu respeito não ajudam em nada. Um dia andando pela escola, ele encontra Yozora Mirazuki, uma menina de cabelos pretos que se acha a maioral, falando com uma amiga imaginária. Ao conversarem, ele descobre que a menina também tem dificuldades de fazer amizades por causa de seu temperamento. Ela então decide que vai fundar um “Clube dos Vizinhos” que nada mais é que um clube para pessoas com problema em fazerem amigos se ajudarem. A primeira aluna a se registrar no clube, é a menina mais bonita e mais popular da escola entre os meninos, Sena Kashiwazaki. Ela diz que não consegue fazer amigos justamente por ser perfeita demais. É de se esperar que as duas meninas não se deem nem um pouco uma com a outra. Começa assim a história de Boku wa Tomodachi ga Sukunai.

O que me atraiu no anime, foi justamente trazer essa temática sobre “amizade”, no caso, a falta de. Isso é um problema relativamente sério. Muita gente tem dificuldades para fazer amigos, algo que a sociedade condena e que pode ser bem problemático para seu futuro. A ideia de juntar um monte de gente com problemas de sociabilidade em um único clube parece promissora na geração de situações interessantes. A maneira como tudo foi conduzido nesse primeiro episódio me fez crer que a coisa pode andar para bons caminhos.

Como é de se esperar, há sim fanservice. Nesse episódio não tanto, de fato, mas pela abertura dá pra ver que a coisa não vai ser assim o tempo todo. Não sou contra o fanservice desde que ele não atrapalhe uma boa história ou um bom cenário (que muitas vezes é o que acaba acontecendo).

O estúdio responsável pela animação é uma subdivisão do AIC, o AIC Build, que também foi responsável pela adaptação de Oreimo. Ou seja, pelo menos teremos um trabalho competente nesse quesito. Saito Hisashi está a cardo da direção. Ele foi o diretor de Sora no Otoshimono e Sora no Otoshimono Forte, animes com forte apelo ecchi e que, infelizmente, se perdeu na segunda temporada se tornando repetitivo demais. Porém, Sora no Oto foi feito por outra subdivisão da AIC, a AIC A.S.T.A.. O que essa pequena mudança pode acarretar a série? Não posso opinar com certeza, mas espero que seja positiva.

Quem me dá grandes esperanças para a história andar bem, é o responsável por ela, Urahata Tatsuhiko. Ele foi o responsável pelos scripts de Monster, Nana e ajudou na edição do script de Sakura Card Captors. O cara já é veterano na indústria e tem bons trabalhos no currículo. Vamos torcer pra que não decepcione com Haganai.

Na temporada passada, eu tive uma grata surpresa com o […]