BEDA #011 – Quero começar um anime blog em inglês

Desde o ano passado eu estou com um desejo crescente de começar um anime blog em inglês. Como sinto que estou mais próximo do que nunca de tornar esse desejo uma realidade, por que não falar um pouco sobre ele aqui no BEDA?


Antes mesmo de eu pensar em começar o Anikenkai, eu praticamente só lia anime blogs em inglês. Na época eu não conhecia muitos blogs em português sobre o assunto e os que eu conhecia não tinham um conteúdo que me agradava tanto quanto os estrangeiros. Curiosamente esse foi um dos principais motivadores para eu começar o Anikenkai. Eu queria poder criar um conteúdo interessante como aquele, mas na minha língua materna, para a comunidade de fãs de anime do Brasil. Hoje, seis anos depois, a blogsfera animística brasileira evoluiu consideravelmente. Tanto em número de blogs quanto em qualidade de conteúdo, mas eu nunca deixei de acompanhar blogs em inglês. Na verdade, acho que ainda leio mais blogs em inglês do que em português hoje em dia.

Por causa desse meu contato diário com a comunidade internacional de fãs e de blogueiros, acaba sendo inevitável eu também querer me inserir nesse meio. Porém, até então eu me contentava em participar de fóruns ou trocar ideias no twitter. Isso até a vontade de produzir conteúdo em inglês ter me acertado em cheio. Acaba sendo uma progressão natural das coisas, acredito. Você gosta de ler conteúdo em inglês, você gosta muito de escrever, então por que não escrever também em inglês?

O momento de virada, no entanto, acho que veio mesmo quando passei a estudar mais a fundo a língua inglesa na faculdade.Comecei a produzir mais conteúdo acadêmico em inglês e isso me mostrou como — embora eu considere o meu inglês muito bom — eu ainda tenho o que melhorar. Aquele tipo de melhora que vêm unicamente com a prática. Aquela velha história de “se você quer escrever melhor, escreva, escreva muito” — e leia muito também, claro. Então, se eu uso o Anikenkai há cerca de seis anos como uma maneira de praticar minha escrita em português, eu poderia fazer o mesmo em inglês.

Começar um blog em inglês também tem outras vantagens, sendo a mais evidente dela o estupidamente maior público potencial que meus textos teriam. Afinal, escrevemos para sermos lidos e, como eu mesmo disse no post de 5 anos do Anikenkai…

Eu comecei a pensar na ideia do Anikenkai quando eu me considerei maduro o suficiente para compartilhar com o mundo meus próprios pensamentos e opiniões. Quando me achei capaz de acrescentar algo aos assuntos que eram discutidos pelos outros blogueiros. Eu queria um lugar onde eu pudesse ser eu e que as pessoas que curtissem minhas opiniões e/ou a maneira com que eu escrevo e me coloco acerca dos assuntos pudesse me encontrar.

Segundo a sempre confiável Wikipedia, cerca de 360 a 400 milhões de pessoas falam Inglês como língua materna e estima-se que de 460 milhões a 1 bilhão de pessoas falem como segunda língua. Português, por sua vez, é falado por cerca de 250 a 280 milhões de pessoas no total (somando falantes nativos e não-nativos). Dá pra ver claramente que, escrevendo em inglês, meus textos poderão chegar a muito mais gente do que podem em português.

Além disso, quando você começa a produzir conteúdo em inglês, suas próprias oportunidades dentro desse meio também aumentam. Seja para estabelecer contato com outros veículos (blogs, sites, podcasts, canais do YouTube, etc) ou com empresas da área, ou até mesmo para começar a ganhar dinheiro com seus textos. Recentemente eu perdi uma oportunidade de trabalho escrevendo sobre animes justamente porque meu portfólio de conteúdo em inglês era… bem… inexistente.

Evidentemente que nem tudo são flores. Há claras dificuldades em se começar a produzir conteúdo em uma língua estrangeira. Curiosamente hoje mesmo, saiu um vídeo de um canal literário chamado Books and Quills, que acompanho no YouTube, falando exatamente sobre esse assunto:

Os comentários dela são mais focados em começar seu canal no YouTube em inglês, mas dá para aplicar facilmente o que foi falado a qualquer tipo de conteúdo.

Eu, no entanto, acrescentaria mais um detalhe: se já é difícil produzir conteúdo regularmente em sua própria língua, imagina em uma língua estrangeira? Felizmente, nesse exato momento, eu estou fazendo um excelente exercício de escrita chamado BEDA, que você está lendo nesse momento, onde ao ter que escrever um post todo dia, eu testo, principalmente, minha disciplina, característica essencial se eu quiser realmente me enveredar nessa nova jornada.

Pretendo também entrar em contato com alguns blogueiros estrangeiros que tenho mais intimidade para ver o que eles me falam sobre a comunidade de língua inglesa, se há espaço para alguém como eu entrar lá, etc. Não que isso vá me impedir de alguma coisa, mas é sempre bom ter a visão de alguém de dentro da coisa. Eles podem me dar algumas dicas, etc.

Nesse momento, você, leitor regular do Anikenkai, está ficando com medo, achando que eu fiquei maluco e que vou deixar o Anikenkai de lado para me focar em uma carreira internacional (pretensioso é pouco, não?), mas nada tema! O Anikenkai não vai acabar tão cedo.

Nos seis anos que escrevi textos por aqui, eu atraí uma comunidade de leitores que, embora não sejam tão numerosos quanto o de outros blogs, são excelentes. Quando resolvem interagir nos comentários então, são melhores ainda! Por isso, não teria porque simplesmente abandoná-los. Embora acredite que muitos de vocês saibam ler em inglês, sei também que alguns não sabem e não seria justo deixá-los de lado. Então NÃO PRIEMOS CÂNICO! O Anikenkai continuará, independente de criar ou não um blog em inglês.

No final das contas, esse foi um post mais para compartilhar com vocês um pouco do que eu penso e do que eu acho sobre blogagem animística (adoro criar neologismos), mas quero saber um pouco sobre vocês também. Tem algum anime blog em inglês que vocês acompanham? Eu adoraria saber o nome dele. Botem nos comentários! Se quiserem, opinem também sobre essa minha ideia meio louca, também gostaria de saber.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, podcaster, jornalista, amante de cinema, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Desde o ano passado eu estou com um desejo crescente de […]