Um remake de FLCL é realmente necessário?

No início dessa semana ficamos sabendo que a Production I.G. comprou da Gainax os direitos totais da série FLCL (pronuncia-se “Furi Kuri”). A Production I.G. foi co-produtora da série de OVAs ao lado da Gainax no início dos anos 2000 e agora, com a aquisição dos direitos, anunciou seu interesse em fazer um remake da série. A questão que paira no ar, no entanto, é: será que isso é necessário?

FLCL foi uma série extremamente autoral de Kazuya Tsrumaki, diretor assistente de Neon Genesis Evangelion e atual diretor da série de filmes Rebuild of Evangelion. Na época a Gainax deu carta branca pro cara fazer o que ele quisesse e isso resultou na possibilidade de se experimentar diversos estilos, técnicas e ritmo bem incomuns para a época. São 6 episódios engraçados, frenéticos, recheados de ação, referências à cultura pop, uma trilha sonora bem envolvente (recomendo fortemente que todos a peguem para escutar) e com uma animação cheia de estilo e muito bem feita.

Um verdadeiro retrato da época em que foi produzido e um baú de memórias de quando a Gainax ainda era um nome bem relevante na indústria e uma incubadora de verdadeiros talentos, FLCL resistiu muito bem ao tempo. Hoje, 15 anos depois, sua animação continua muito boa, sua história ainda tem aquele frescor de nonsense divertido e fora do comum, o que só comprova o esmero que foi colocado em sua produção. Então por que fazer um remake agora?

flcl

O Production I.G. não é bobo. Ele não gastaria dinheiro para conseguir os direitos sobre um anime sem vislumbrar um possível lucro oriundo disso. A primeira pista que temos é o fato do estúdio reconhecer a relevância de FLCL no mercado internacional, especialmente nos Estados Unidos. A série sempre foi um clássico cult no fandom de animes e mangás, mas nos Estados Unidos, por ter passado na TV por um bom tempo, acabou caindo mais no gosto popular. Esse interesse do ocidente em consumir a série pode ser um dos motivadores para o estúdio querer revisitá-la possibilitando a sua apresentação para uma nova leva de espectadores, tanto dentro quanto fora do Japão, agora com o emprego de novas tecnologias e técnicas modernas de animação. Mais ou menos com o que está acontecendo com Rebuild of Evangelion.

É possível, também, que o estúdio esteja interessado em desenvolver um pouco melhor a história e o mundo de FLCL em uma série mais longa. Os 6 episódios originais, embora muito divertidos, tiveram que correr para contar sua história. Isso resultou em decisões narrativas interessantes, mas dava para expandir e contar melhor o que estava acontecendo ali. Há de se convir, no entanto, que isso tem que ser muito bem feito para não parecer forçado e, principalmente, para não descaracterizar um dos elementos mais legais da série que é seu aspecto nonsense.

Caímos aí em uma outra razão para esse remake que seria contar uma outra história. Talvez os planos do Production I.G. não estejam em recontar a história de Naota e Haruko, mas sim explorar outra face daquele universo. É possível? Totalmente! Virariam duas obras que poderiam ou não se entrelaçar em algum ou alguns momentos, mas que funcionariam bem independentemente umas das outras. Esse, para mim, seria o cenário ideal. Expandiria aquele universo, traria conteúdo novo, novos conceitos e temáticas, mas sem agir sobre o clássico cult. Esse “novo” FLCL seria mais ou menos como foi o novo Mad Max, uma apresentação nova, honesta e bem feita de uma série clássica visando atrair novos fãs sem anular ou sem deixar de reconhecer a importância da obra anterior.

flcl2

Se o remake de FLCL vai acontecer ou não, de fato, nós ainda não sabemos. Eu espero, no entanto, que a Production I.G. pelo menos chame Kazuya Tsrumaki para a equipe de produção e que dê a ele liberdade para poder criar algo tão bom ou, quem sabe até, melhor do que sua criação original. Foi com essa liberdade que FLCL surgiu em primeiro lugar e com essa liberdade é que esse remake deveria ver a luz do dia.

Enfim, como de costume, quero saber o que vocês pensam sobre esse assunto para podermos discutir um pouco mais. Botem lá nos comentários se vocês já assistiram FLCL, o que acharam, se acham que um remake pode ser uma coisa boa, se acham completamente desnecessário, etc. Agora é com vocês.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, podcaster, jornalista, amante de cinema, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

No início dessa semana ficamos sabendo que a Production I.G. […]