Avaliação – Aventuras de Menino (L&PM)

avNão sei vocês, mas eu gosto de intercalar minhas leituras rotineiras com obras curtas, de 1 a 2 volumes. Podem encarar como desculpa de slowpoke, mas é fato que só este mês, 2 anos após seu lançamento aqui no Brasil, dei uma chance ao charmoso Aventuras de Menino, oneshot do grande Mitsuru Adachi (Touch).

Realmente não me lembro da recepção que o lançamento teve na época, mas imagino que não tenha causado muito alarde, o que é compreensível vide a natureza da obra. Ao focar em um público mais velho, que já recorda a infância com nostalgia, Mitsuru Adachi foi feliz ao optar em escrever várias oneshots e compilá-las neste único volume. Desta maneira, pôde explorar uma mesma proposta (reflexos da infância em adultos) sob sete perspectivas diferentes, aumentando a chance de o leitor se identificar com pelo menos uma das histórias.

Sensível e envolvente, é a típica obra melhor aproveitada quando lida sem pressa, preferencialmente um capítulo por dia. Achei uma leitura muito agradável, do tipo que te desliga do mundo e propõe um mergulho nas próprias lembranças, mas reconheço que não faz sentido para qualquer um. Ainda sou jovem e provavelmente irei gostar ainda mais do mangá quando reler daqui a uma década, mas engraçado mesmo é a certeza de que poderia ter me entediado com ele a poucos anos atrás.

Se vale a pena adquirir a edição ou não sempre cabe a cada um, mas gostaria de comentar sobre duas oneshots que achei bem interessantes,  acredito que pode ajudar na decisão!

ano-hana

“Perdidos na Estrada” trabalha com o tema amizades de infância, dando enfoque em como elas se dissipam com os anos. A morte de um dos amigos foi o início do distanciamento já previsto pelo destino, deixando tristeza e suspeita no coração de cada um. Assim que um toque sobrenatural é adicionado à história, nossos protagonistas são guiados a compreender as verdades por trás da tragédia de quando eram crianças, permitindo que a amizade dos que ainda estão vivos tome um rumo diferente. A oneshot é uma graça e impressiona ao lidar com um tema delicado com naturalidade e bom humor, assim como o recente anime Ano Hana também o fez.

am

Como dizem os mais velhos, “É importante manter amigos de longa data. Eles nos lembram de quem verdadeiramente somos.”. Em “Mensagem Enviada”, acompanhamos o envolvimento de dois amigos, desesperados por dinheiro, em um sequestro. O que deveria ter sido uma simples solução para seus problemas, se complica quando eles descobrem terem envolvido uma velha amiga de escola na história. Ao mesmo tempo que o mestre Adachi encanta com o tato para representar os conflitos humanos, ele também impressiona ao adicionar na sua narrativa a crueldade do destino, resultando em um realismo muito bem feito.

De modo geral, o mangá não é apenas um belo conjunto narrativo, como também um panorama da vida adulta. Enxergando as diversas situações de fora, como expectadores, incapazes de fazer qualquer coisa pelos personagens com que nos identificamos, que a plena compreensão da profundidade dos fatos se torna possível.  Seja por um sonho de infância ou amigo que se perdeu, por vergonha das próprias atitudes no passado, ou mesmo pela crueldade inevitável ao destino de qualquer um, sempre há um reflexo dos tempos de menino nos adultos. Ainda que resulte em mágoa e sensação de impotência, Aventuras de Menino mostrou que podemos mudar nosso destino se encararmos os fantasmas do passado – ou que pelo menos há esperança para tal, sem que o drama precise ser vivido para sempre.

Posso ser suspeita por ter gostado muito de todas as oneshots, mas espero ter convencido vocês a darem uma chance à esta ótima obra! Boa leitura, ou melhor, boas aventuras a todos!

Sobre Clara

Sou apaixonada por quadrinhos desde que me entendo por gente, mas desenhar tem espaço no meu coração há mais tempo ainda. Nas horas vagas, costumo ler, assistir anime e fingir que toco piano. Quando não estou tendo pesadelos, estou sonhando com as figures que nunca terei. </3

Não sei vocês, mas eu gosto de intercalar minhas leituras […]