Avaliação – Berserk #01 (Panini)

Berserk01_C1-701x1024“Olá, amiches!” Brincadeira, não sou o Diogo… rs  Entretanto, o blog vai ficar sob meus cuidados até sábado, pois ele está viajando  de novo. Sendo este o caso, que tal começarmos a semana falando do melhor lançamento do ano?

Berserk, o aclamado mangá de Kentaro Miura, enfim retorna às nossas bancas! Sem dúvidas um motivo para comemorar, não apenas pela editora ter cumprido a promessa de relançamento, mas principalmente pela qualidade do produto final.

Como colecionadora, já me sentia muito realizada por ter a primeira versão de Berserk, mas hoje reconheço que é preciso muito amor para olhar a coleção antiga na estante e achá-la bonita. Lombadas irregulares, capas de design pobre (aquele título em gradiente, socorro…), sem mencionar o papel jornal e os borrões na impressão já escura. Tudo isso por “apenas” R$11,80~13,80 por volume (2 meio tankos), para quem teve a sorte de pagar o preço de capa.

WP_20140909_001

Acredito ter sido clara o suficiente de maneira que os R$16,90 cobrados pela edição atual estejam justificados, pois agora estamos pagando muito pouco a mais por um acabamento infinitamente superior. Tudo está lindo, desde o papel offset (que valorizou muito a arte!) à capa cartonada, com vários mimos para os fãs. Posso ser suspeita por gostar muito do mangá, mas àqueles que só colecionam um título por vez, Berserk é a minha recomendação.

WP_20140909_011

No geral, estou super satisfeita com o relançamento, verdadeiramente ansiosa pelas edições seguintes! Se me permitirem um momento fangirl, o título brilhante como em Claymore e o estigma atrás da numeração ficaram lindos demais, não acham?! rs  Enfim, comentem o que acharam do lançamento também! Até a próxima!

Sobre Clara

Sou apaixonada por quadrinhos desde que me entendo por gente, mas desenhar tem espaço no meu coração há mais tempo ainda. Nas horas vagas, costumo ler, assistir anime e fingir que toco piano. Quando não estou tendo pesadelos, estou sonhando com as figures que nunca terei. </3

“Olá, amiches!” Brincadeira, não sou o Diogo… rs  Entretanto, o […]