Como eu demorei tanto tempo para entender Space Dandy?

isso não é um review, é um desabafo.

Space Dandy terminou há alguns dias e no geral foi uma série muito divertida de se acompanhar (o review sai em breve, prometo). Porém, algo sempre me deixou intrigado desde o começo que era o fato de, aparentemente, os episódios não terem ligação entre si. Mais do que não ter ligação, eles não tem sentido se estivessem acontecendo na mesma linha temporal, vide finais de episódio que não dão margem pra muita continuação, como o próprio primeiro episódio, ou o da invasão zumbi.

Muita gente especulava de que se tratavam de dimensões paralelas, uma suposição válida vide o cenário espacial-futurista, mas ninguém tinha provas de nada… bem… a não ser que você fosse japonês ou soubesse a língua japonesa bem.

A resposta está na música de encerramento cuja letra dialoga com o físico-quântico Hugh Everett III sobre a confusão que sua mais famosa teoria causou. E adivinhem que teoria é essa? Exato… a teoria de universos paralelos.

De fato, agora tudo faz muito mais sentido.

E ainda tem gente que diz que traduzir abertura e encerramento de anime é desnecessário. Obrigado ao Ogiue Maniax por ter atentado para esse fato.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

isso não é um review, é um desabafo. Space Dandy […]