Retrospectiva Anikenkai 2013 – Um ano que demorou a passar…

ogiues91Olá, queridos leitores do Anikenkai!

Embora eu não quisesse fazer uma retrospectiva esse ano, muito pelo fato de não ter sido um ano lá tão bom e por eu não ter feito uma em 2012, cá estou. Decidi levar adiante a retrospectiva pois, apesar dos fatos acima, 2013 teve uns posts bem legais que devem ser lembrados.

Bem, vamos a eles…

Janeiro chegou com tudo aqui no Anikenkai! Além dos vários posts de Primeiras Impressões da temporada de Inverno, tivemos o review do filme live-action de Rurouni Kenshin (aka Samurai X), o post sobre o encurtamento dos uniformes nos animes, e o polêmico post do Fred sobre O CASO do grupo AKB48. Para fechar o mês, ainda tivemos os resultados do 3º ANIKENKAI AWARDS e o início dos preparativos para a CORRENTE DE REVIEWS 2013.

Para melhorar, só o anúncio do novo anime de Genshiken para deixar tudo ainda melhor! (sim, eu deixei um parágrafo só pra essa lembrança, rs).

Fevereiro também teve seus destaques, como o post com a cara dos mangakás, que fez bastante sucesso; a chegada de um novo serviço de streaming de animes, o DAISUKI; a escolha dos vencedores da Gold Future Cup da Shonen Jump, que viriam a fracassar brutalmente ao serem lançados como séries; além da ideia de querer ver algum anime/mangá com otakus ocidentais.

Em Março, mês em que o Anikenkai comemorou seu 3º aniversário e que começou a polêmica dos nadadores da KyoAni, consegui voltar com o Anikencast e chegamos a produzir três programas completos: Mangás novatinhos de qualidade; produção de animes; e venda de animes!

As coisas estavam indo bem até o momento. Abril trouxe mais dois programas do Anikencast: Hate reading/Hate watching e uma introdução a Genshiken (sem spoilers) para comemorar o lançamento do próprio Genshiken pela JBC! Como eu fiquei feliz com essa notícia… mas o mês não terminou por aí. O Fred ainda escreveu um post muito legal sobre as editoras brasileiras que já publicaram mangá e sumiram do mapa, e tivemos ainda dois posts de curiosidades bem legais: a comparação de personagens de One Piece com personalidades do mundo real e o comparativo das escalas de Shingeki no Kyojin com o Japão real. Foi um mês também com bons boatos, tais quais a suposta série de Monster produzida pela HBO e o possível novo mangá da dupla de Death Note e BAKUMAN. Falando em BAKUMAN, o anime se encerrou também em Abril e aproveitei para fazer um review geral da adaptação. Para completar, tivemos a estreia do excelente mangá Nanatsu no Taizai, o qual estou acompanhando até hoje, e pudemos conferir também o Evangelion 3.33 em Blu-Ray. Eu fiz um review sob um ponto de vista e o Fred fez sob outro. Foi bem legal isso.

UFA! Abril não poupou esforços para ser um mês recheado… mas a coisa começaria a mudar a partir de maio. Abril foi um reflexo da minha vida. Eu comecei a querer fazer coisa demais e isso mais atrapalhou do que ajudou, embora eu não tivesse enxergado isso enquanto ainda era tempo. Não que o mês não tenha tido posts legais, como minha opinião sobre o sentido ocidental de leitura em mangás e o “quando você aprende com o seu hobby” e até umas curiosidades legais como a versão “anos 70” para a música de abertura de Evangelion, mas dava pra ver que a coisa não ia para um bom lugar.

Junho chegou trazendo ainda menos posts que Maio, mas ainda alguns interessantes como o review do 1º volume de Genshiken pela JBC e meu trabalho sobre a Era Edo. Ainda tivemos o evento Henshin+ da JBC que eu espero que volte a acontecer anualmente e o anúncio oficial de que os próximos filmes de Rurouni Kenshin adaptariam a saga de Kyoto. Só que parou por aí… lembro que em Junho foi quando tudo desmoronou e eu passei o resto do ano tentando organizar a besteira em que eu tinha me metido.

Julho e Agosto representaram minha tentativa fracassada de fazer reviews semanais de animes das temporadas. Eu não tinha tempo de ver animes como antes e ter tomado a decisão de fazer isso numa hora como essa foi praticamente suicídio. Onde que eu estava com a cabeça? Claro que os reviews não deram certo… uma pena pois um dos animes que eu estava fazendo era Genshiken Nidaime. Pelo menos consegui colocar uns posts legais no ar como as dicas de mangás par ase ler no dia dos pais e os “quick-posts” com o visual do robô do filme de Patlabor, o novo poster com as meninas da Jump desenhadas por Shun Saeki (Shokugeki no Soma) e como GTA vê os animes.

Setembro e Outubro foram o ápice da minha falta de tempo. Pelo menos aqui no blog. Foram só meia dúzia de posts (literalmente) em cada mês e apenas dois realmente para se lembrar: o post sobre as edições em Blu-Ray de Rebuild of Evangelion que o Fred fez; e a discussão legal que tivemos no post “Você assiste aberturas?“.

Novembro foi o mês em que eu decidi mudar. Eu comecei ainda querendo insistir nos reviews semanais. Até tentei mudar o formato, mas não consegui. Eu tinha que focar em resolver meus problemas primeiro. Decidi voltar às raízes do blog, pensando em posts mais pessoais e que proporcionassem mais discussão, é essa a filosofia que vou levar para 2014. Foi assim que, apesar de poucos posts, consegui fazer uns bem legais: o encerramento da Corrente de Reviews 2013 (que teve várias complicações por causa da minha situação) comigo falando de Nazo no Kanojo X, “Fanservice, uma discussão interminável“; o review das primeiras edições de Super Onze pela JBC; e as primeiras imagens do novo mangá de Hayao Miyazaki.

Em Dezembro, eu decidi seguir com a filosofia de posts e escrevi, novamente, poucos posts, mas que me agradaram: como “Otakus de 2003, imagens de um evento de anime da época“, e a excelente discussão que tivemos no post “vale a pena ver tanto anime?“.

————————————————————–

Se você chegou até o final desse post, muito obrigado!

Posso dizer que aprendi bastante com meus erros e digo que já consegui colocar boa parte da minha vida em ordem. Que 2014 venha recheado de boas experiências, bons posts e que todos nós possamos aproveitá-lo bem mais que eu aproveitei meu 2013. hehehe. No final, apesar das dificuldades, até que tivemos uns posts bem legais!

Agora vou nessa que tenho que me preparar para a hora da virada. Não deixem de conferir, logo no início de Janeiro, o resultado do 4º ANIKENKAI AWARDS, com os melhores do ano!

Bom ano novo para todos vocês!

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Olá, queridos leitores do Anikenkai! Embora eu não quisesse fazer […]