Avaliando: Mangirl! – Curto e divertido com gosto de ‘quero mais’.

mangirl004

Comecei a assistir Mangirl sem muitas expectativas. O que me chamou um pouco de atenção na série foi a temática rondar no mundo editorial de mangás, mas eu sabia que seria uma série moe e que teríamos garotas fofinhas fazendo coisas fofinhas e aquela ladainha de sempre. Quando vi que o Crunchyroll ia exibir, era a desculpa que faltava. Um anime curtinho (3:30 min cada episódio) a um clique de distância e sobre um assunto que eu me interesso? Era a desculpa que faltava pra dar o play.

Mangirl conta a história de um grupo de garotas que sem experiência nenhuma resolvem criar uma antologia de mangás, tal qual a Shonen Jump, Shonen Magazine, etc. É claro que elas teriam muitos desafios pela frente e nós vamos acompanhá-las no maravilho mundo editorial dos mangás.

Antes demais nada, se alguém criticou essa série falando que ela era muito fantasiosa e não retratava a realidade dos departamentos editoriais não devia nem ter começado a assistir. Quando vamos ver uma série, há um contexto. Você olha para todo o material promocional de Mangirl ou, caso não tenha visto nada, no 1º quadro do anime já dá pra saber que ele pode ser tudo, menos real.

mangirl002

Deixando isso claro, vamos primeiro dizer que, como um anime de comédia, o propósito de Mangirl é fazer rir, de entreter quem está assistindo. E nisso, do meu ponto de vista, foi entregue. Nós temos situações engradas e com bom timing, e o domínio sobre o momento para se fazer as piadas se sobressai num anime com tão poucos minutos para serem trabalhados.

As personagens não são nada originais, sendo praticamente um copia e cola das personagens de K-ON. Mas isso não atrapalha a trama e o motivo é até interessante: o foco não são as meninas, mas o que elas fazem! Sim, nós temos uma história nesse anime. Sim, não são só garotas fofas fazendo coisas fofas no dia-a-dia. O anime conta a história da criação de uma revista desde a primeira reunião. E esse é o foco, do começo ao fim.

Eu estou dando destaque a isso pois eu não esperava MESMO que fosse ver um pingo de história em Mangirl. Eu achava que iria desistir no 1º episódio, mas não. O anime me surpreendeu muito positivamente. As personagens são clichês, mas quem se importa? A história tá lá e ela é interessante e divertida de se acompanhar. Claro que se você quiser assistir pelo moe, ele tá lá, mas isso não exclui quem quer ver por uma história ou por algo interessante além da fachada bonitinha. Destaque, inclusive para a meta-linguagem que encerra a série.

mangirl003

São ao todo 13 episódios bem curtinhos que dão pra ser assistidos em uma tacada só sem problemas. Uma grata surpresa. Um anime que assim que eu via nas atualizações do Crunchyroll fazia questão de assistir. Diversão em formato pocket. Fiquei realmente com um gostinho de “quero mais” na boca, pronto para uma continuação. Se teremos uma ou não, só as vendas do blu-ray dirão (que por sinal virá com um episódio extra).

O que eu sei é que, apesar de não ser nada obrigatório nem brilhante, Mangirl foi divertido de assistir e, tendo em vista sua curta duração, é um ótimo drops entre um episódio ou outro de uma série maior.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Comecei a assistir Mangirl sem muitas expectativas. O que me […]