Primeiras Impressões – Sukitte Ii na yo.

Eu não estava com vontade de ver esse anime. É um shoujo daqueles que a personagem principal sofre e etc… porém, como uma amiga sugeriu que eu assistisse, o fiz. Será que valeu a pena?

Graças a um mal-entendido há alguns anos, Mei cresceu excluída e sem amigos na escola. Até que um dia, Kurosawa, um dos alunos mais populares do colégio, conhece e se apaixona por ela. No entanto, Mei não está pronta para ter um amigo, muito menos um tão “próximo” assim. Além disso, essa nova paixão deve gerar muita inveja nas outras meninas do colégio.

 Um dos motivos deu não estar muito animado com esse anime é justamente essa temática de bullying. Sempre que alguém fala de shoujo e bullying, sempre me vem a cabeça algum trabalho de Keiko Suenobu e aí já viu, começo a ficar nervoso. Essas temáticas sempre tendem a ser dramáticas demais e deixam o leitor extremamente desconfortável com o quanto a personagem principal sofre. Sukitte Ii na yo podia acabar indo para esse lado. Mas pelo visto não foi… não nesse primeiro episódio. Sem dúvida isso me agradou bastante.

Outro motivo para meu receio era de ser enrolado demais, no melhor estilo Kimi ni Todoke. Mas novamente, não parece o caso, já que no primeiro episódio já rola… bem, assistam.

Como deu pra ver, o anime me surpreendeu positivamente. O que não quer dizer que tenha sido bom. Não foi. A história é simples e clichê, como devem ter percebido. A minha esperança é que ela ganhe algum diferencial ou que trabalhe bem o clichê. Só saberemos assistindo os próximos episódios. E se o anime já me fez querer ver os próximos episódios, já merece respeito. É no geral bem mediano.

Tecnicamente, Sukitte Ii na yo é competente. Nada incrível, novamente, mas na medida para contar suficientemente bem a história. Não há grande destaque pra nada nesse aspecto.

Devo ver mais uns dois ou três episódios, mas confesso que a série não me atraiu tanto assim, por isso recomendo com ressalvas. Assista se estiver com tempo livre. Não parece ser nada imperdível.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Eu não estava com vontade de ver esse anime. É […]