2º Anikenkai Awards – Os melhores dos animes de 2011

E aqui estamos, com o prêmio que move toda a indústria da animação japonesa (na minha imaginação), o Anikenkai Awards! Em sua segunda edição, o Anikenkai Awards irá premiar os melhores dos animes em 2011 em 10 categorias diferentes!

Vale lembrar que os vencedores são escolhidos também levando em consideração meu gosto pessoal. Para conferir outras listas de “melhores do ano”, recomendo você dar uma olhada no blogroll ali do lado.

E sem mais delongas, chegou a hora que todos esperavam… será que o grande favorito Madoka Magica vai levar a maioria dos prêmios? Será que teremos alguma zebra? Independente de quem ganhe, não deixe de comentar expondo sua opinião!

———————————————————————-

Sem dúvida nenhuma Hanasaku Iroha é um belo exemplo dos animes “ame-o ou odeie-o”. Sua popularidade no Japão foi bem grande, as vendas dos blu-rays porvam isso, mas aqui no ocidente a recepção não foi tão boa. A maioria não aguentou ver todos os episódios que facilmente davam para ser reduzidos a uma quantidade bem menor. Porém, uma coisa que todos temos que concordar quanto a esse anime é quão belo são seus cenários. Desde que o anime estreou esse foi um dos grandes fatores que me fizeram aguentar assistir episódio após episódio. Sou um admirador de belos cenários e, esse ano, ninguém superou Hanasaku Iroha nesse sentido.

Menção Honrosa: Mahou Shojo Madoka Magica

Animes baseados em mangás da Shonen Jump raras vezes tem vez em premiações de “melhores do ano”. Porém, esse ano se mostrou uma exceção com a estreia de Sket Dance. Eu sempre tive curiosidade de saber como era a série, mas nunca peguei o mangá para ler. Quando soube que iriam fazer um anime, conferi e não me arrependi. Um episódio divertido atrás do outro. Altas risadas, situações criativas, ótimos personagens e tudo isso com uma animação competente. E, além de tudo, eu ainda me animei para ler o mangá, e não me arrependi.

Menção Honrosa: Nichijou

Eu adoro quando eu assisto um anime para o qual eu não dava nada e ele me surpreende se tornando uma agradável experiência. Ben-to foi o anime que mais representou esse sentimento em 2011. Um anime que eu só assisti pela completa “sem-noçãozice” da sinopse foi um dos que eu mais gostei no ano que passou. O motivo é simples: A SEM-NOÇÃOZICE DO ANIME. Eu acreditava que seria impossível desenvolver aquele plot doido que estava na sinopse, mas não, os caras conseguiram desenvolver e o tornaram ainda melhor do que eu achava. Tem fanservice? Sim, tem, mas ele não é o mote da série. O mote é a porradaria… por bentos! Porradaria pelas melhores marmitas do mercadinho! E tudo isso com uma ambientação de clãs, mestres lendários, códigos de honra, etc. Não tinha como outro tirar esse prêmio de Ben-to em 2011.

Menção Honrosa: Level E

Um anime que deveria ser o novo Code Geass se revelou uma enorme porcaria. Sacred Seven desbancou todos os seus concorrentes nessa categoria por causa do hype criado em cima e da enorme decepção que foi quando o produto final foi exibido. Tivemos uma história fraca, com personagens fracos, com ambientação fraca e com uma qualidade de animação decente mas nada incrível. Não precisa dizer mais nada. Nunca me arrependi tanto de ter falado bem de um anime num post de “primeiras impressões”…

Menção Honrosa: Mirai Nikki

Eu confesso que não vi muitos filmes esse ano, mas mesmo que eu tivesse visto, duvido que seriam tão bons ou melhores que o segundo filme da série Macross Frontier. Em The Wings of Goodbye, a equipe de produção pegou tudo que a série e o primeiro filme (que resumiu os eventos da série) tinham de bom e elevaram a um nível ainda maior. Trouxeram uma história inédita com uma incrível qualidade técnica e que me deixou grudado na tela da TV por todos seus 114 minutos.

Menção Honrosa: The Borrower Arrietty

Categoria nova nesse 2º Anikenkai Awards e, confesso, que foi uma das mais difíceis de decidir, só perdendo para Anime do Ano mesmo. A escolha pela música Sweet Drops da dupla Puffy foi feita com base, principalmente, na minha experiência pessoal com as músicas. Não quer dizer que essa tenha sido, tecnicamente, a melhor música de 2011, por isso especifiquei bem que era ANISONG do ano. Essa é a música de abertura de Usagi Drop e sempre que eu a escutava eu sentia uma sensação de calmaria e bem-estar por saber que estava pronto para mais um belo episódio. O estilo de música também me agrada muito e então era impossível eu não escolhê-la como melhor do ano. Confira o PV abaixo.

httpvh://www.youtube.com/watch?v=pDWZH6U0WK0

Não tem como negar que esse ano não tivemos um time exemplar de candidatos nessa categoria. Cada vez mais temos cada vez menos bons personagens masculinos nas séries. Por isso que eu acabei suando mais do que deveria para dar esse prêmio a Kaburagi T. Kotetsu. Sem dúivida ele se destaca entre os demais. Super-heróis veterano, pai de família… o cara tornou a experiência de assistir Tiger & Bunny muito mais agradável com suas participações. Posso até dizer que ele foi um dos motivos para eu ter continuado a ver a série até o final.

Já para personagem femina do ano eu não tive dúvida alguma. Ao terminar de assistgir a Madoka Magica, Akemi Homura se tornou rapidamente a número um da categoria. Todo seu envolvimento e dedicação à amiga, sua personalidade a principio fria e clichê depois se tornando um incrível objeto de admiração pelos espectadores da série. Akemi Homura é uma personagem complexa e que merece vencer nessa categoria. O fato dela usar um escudinho a la Shiryu ao lado de basucas e armas nucleares tiradas de baixo da saia só a torna ainda mais especial.

Mais uma categoria nova no Anikenkai. Nesse mundo de temporadas de 12/24 episódios, termos continuações é algo extremamente comum. E assim como Poderoso Chefão 2 superou seu predecessor, essa categoria visa premiar a continuação que mais agradou em 2011. E, sem mais delongas, como vocês já puderam ver, o vencedor é Kaiji 2nd. Sem dúvida nenhuma quem acompanhou a primeira temporada vibrou tanto ou ainda mais com a segunda. Um anime bem feito, com um estilo bem distinto e que, infelizmente, poucos assistiram de fato.

E chegamos à categoria que todos esperavam: ANIME DO ANO! E o vencedor é USAGI DROP! Isso mesmo, camaradas. Esperado para alguns e inesperado para outros, Madoka não venceu o Anikenkai Awards e os motivos disso eu pretendo esclarecer para vocês.

Usagi Drop me agradou do início ao fim. A cada semana e a cada episódio era uma alegria. Quem acompanhou o anime enquanto saia e me seguia no twitter na época sabia que era de praxe eu aparecer na timeline dizendo que Usagi Drop era anime para se assistir de manhã para deixaro resto do seu dia mais alegre.

Pode ser que Madoka tenha deixado o mundo inteiro pregado na cara do PC/TV esperando para ver o que vinha a seguir… mas não pra mim. Eu estava lá, acompanhando o dia-a-dia de Taichi e Rin. Usagi Drop foi o anime que fez o lado paternal que existe em cada otaku despertar e mereceu levar o prêmio de Anime do Ano do Anikenkai Awards.

Abaixo a lista dos outros concorrentes em oredem de preferência:

02 – Madoka Magica
03 – Kaiji 2nd
04 – Ano Hana
05 – Mawaru Penguindrum

Até o ano que vem. Por favor, não deixem de comentar!

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

E aqui estamos, com o prêmio que move toda a […]