Diário de Bordo Gunpla #001 – Como começar esse novo hobby…

Eu sempre fui fã de figures. Mas de um tempo pra cá, quis experimentar uma nova atividade que há muito queria: Gunpla. Pra quem não sabe, Gunpla é a abreviação de Gundam Plastic e nada mais são que modelos em escala de Gundams para você montar. No início da série, esses modelos foram um dos grandes responsáveis pelo seu sucesso e também de seu lucro. Até hoje, esses kits de montar são extremamente populares no Japão, mas aqui no Brasil, pouco se fala e pequeno é o fandom de Gunpla.

Com esse “diário de bordo”, pretendo passar a vocês como está sendo minha experiência com Gunpla. Não sou nenhum especialista no assunto. Muito pelo contrário, sou um verdadeiro iniciante. Tudo pra mim está sendo uma descoberta e nada mais justo que compartilhar minhas experiências com vocês e, assim, quem sabe, aumentar o número de interessados em Gunpla aqui no Brasil.

Nesse primeiro post sobre o assunto, acho mais justo apresentar as ferramentas necessárias para se fazer Gunpla. Não se assustem com a quantidade. Eu sou exagerado mesmo. Apesar de não ser bom em quase nada ainda, eu quero ter as ferramentas para evoluir…

Para começar mesmo, você só vai precisar disso aí. Um alicate de corte e uma pinça. Sendo que essa daí nem é a pinça mais adequada, mas quebra um galho. Com essas ferramentas você vai conseguir tranquilamente montar qualquer modelo. A questão é que você não vai querer só montar… vai querer montar direito. Aí são outros quinhentos. O alicate você encontra em qualquer loja de construção ou no mercado livre e a pinça em qualquer farmácia.

Outros itens importantes são uma boa quantidade de palitos de dente e cotonetes. Eles são úteis para ajudar na aplicação dos adesivos e para dar certos efeitos de pintura. Temos aí também um marcador de ponta fina. No caso, esse aí é de ponta 1.0mm. Mas sendo bem sincero, não vale a pena comprar um desses nacionais. O único produto que eu recomendo fortemente que você compre ao invés de comprar nacional são os Gundam Markers. Eles são necessários para se fazer o delineamento dos detalhes, o que dá um charme a mais pros seus modelos (abordarei com certeza esse assunto em posts futuros). O grande diferencial dos importados é que a tinta é própria pra modelagem de Gundams e a ponta é finíssima e precisa. Dá pra comprar no ebay por preços bem convidativos.

Na hora de cortar com o alicate, acabam ficando umas pontas de plástico na peça. Para removê-las, é aconselhável usar lixas secas para raspar e estiletes de precisão para dar os retoques finais. Veja que na foto tem lixas de várias “intensidades”. Use a que achar melhor. É aconselhável ter uma borracha branca (não aquelas verdes que de esfarelam todas) para apagar alguns pequenos erros cometidos com o marcador (outra vantagem do Gundam Marker importado, ele sai mais fácil com a borracha). Tudo isso aí pode ser encontrado em qualquer boa papelaria.

A maioria dos modelos de Gundam já vem com peças pré-pintadas. Você pode simplesmente deixá-las do jeito que estão ou reforçar suas pinturas dando um aspecto muito melhor às peças, o que deixa seu modelo muito mais bonito. E além do que, você pode querer customizar o modelo alterando cores de peças, etc. O importante é usar uma boa tinta spray. Eu comprei essas duas aí, que são da mesma marca, mas de estilos diferentes, para testar. No próximo post direi se funcionaram bem ou não. O preço de cada lata fica em R$14 para a preta e R$15,50 pra dourada. Sendo que a dourada parece mais aconselhável para modelar Gundams. No próximo post terei o resultado. E LEMBRE-SE as cores básicas pra Gundam sempre serão branco, cinza escuro, vermelho, azul e amarelo. Com essas cinco você já terá um bom “arsenal”.

Certos detalhes (como partes bem pequenas, sujeiras de batalha, simulação de desgaste do material, etc) não poderão ser feitos só com spray. É necessário a boa e velha tinta tradicional. Eu já tinha aqui em casa boa parte desses pincéis e dessas tintas. Comprei tinta acrílica por ser de fácil aplicação. Lembre-se que você irá precisar de pincéis bem finos e pincéis médios. E nos médios, procure usar os de fios achatados. É bom também comprar um potinho de solvente. Você não vai querer que um errinho destrua todo seu modelo né? Esse solvente serve, além de limpar alguns erros do modelo, também pra limpar os próprios pincéis. Isso pode ser comprado em qualquer papelaria ou loja de pintura. E lembre-se: assim como o spray, é bom ter as cores básicas: branco, cinza escuro, azul, vermelho e amarelo. Mas também é recomendado comprar as tintas preto e cinza (o seu Gundam é pra ser feito de ‘metal’, não é?).

Compre também um pano genérico para auxiliar na hora da pintura. É bom pra esfregar o pincel e tirar o excesso de tinta, por exemplo. Compre também uma máscara. Quando trabalhar com tinta spray, proteção do nariz e boca são importantes. Compre também saquinhos plásticos (eu uso aqueles ziplock) para guardar peças sobressalentes e alternativas dos kits que você montar. Todos esses materiais podem ser encontrados em supermercados ou farmácias.

Eu tenho também uma caixinha pra guardar cada saquinho com as peças. Ajuda na organização. Lembre sempre de marcar o saco com o nome do modelo em questão.

Eu também tenho uma pasta com bolsos plásticos onde guardo os manuais de montagem e algumas caixas (as pequenas, porque as grandes não dá pra guardar.

Quando for usar a tinta spray, além da máscara, é recomendável você aplicar em uma área com boa ventilação e forrada de jornais.

Com isso terminamos esse primeiro post desse meu ‘diário de bordo’. No próximo, irei falar sobre os vários tipos de modelos e suas escalas, onde comprar e os preços de cada tipo de modelo. Tenho dois modelos a caminho que devem chegar do meio pro final do mês que vem. Assim que chegarem, provavelmente comentarei por aqui e mostrarei como montar de fato os Gunpla.

Por sinal, o Gundam do topo desse post foi o primeiro que montei. HG Gundam AGE-1 Normal. Não tem pintura nem efeito nenhum. Usei só o alicate e pinça pra montá-lo. Em breve pretendo customizá-lo para testar técnicas para aplicar no modelo grande que está a caminho!

Até a próxima.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Eu sempre fui fã de figures. Mas de um tempo […]