16º encontro "O Bakuman Dessa Semana Foi Interessante"

Olá a todos e bem vindos ao 16º encontro “O Bakuman Dessa Semana Foi Interessante”… no post de hoje iremos falar sobre os episódios 16 e 17, já que semana passada não pude postar.

Para começar, no episódio 16 tivemos o primeiro problema que ameaçou a unidade da dupla. Mashiro pegou o Takagi saindo com a Kayla ao invés de estar escrevendo a história para o próximo mangá da dupla. No mesmo episódio, Mashiro aceita a proposta de trabalhar como assistente de Eiji, o que faz Takagi se ajeitar e voltar a pensar numa história.

Nesse episódio, nós pudemos ver um ponto bem interessantes: a diferença entre os dois personagens principais. Takagi confia bastante em sua habilidade, sempre imaginativo e tem uma vida aparentemente normal, inclusive com direito a um relacionamento no modelo “tradicional”. Mashiro, por outro lado, sempre está duvidando de sua habilidade como desenhista e sempre sendo o “pé na realidade” da dupla. Sua vida não é nada normal e seu relacionamento do a Miho muito menos. Porém, apesar dessas diferenças, ambos tem um objetivo em comum, se tornarem mangakas profissionais e isso os une acima de todas as diferenças.

Já no episódio 17, nós temos a construção de um cenário que vai definir a série a partir desse ponto. Mashiro começa seu trabalho como assistente de Eiji. Lá ele conhece os dois outros assistentes: Fukuda, uma pessoa bem extrovertida e que não teme falar a verdade. Ele atualmente está desenvolvendo seu próprio mangá para ser serializado. Do outro lado, temos Nakai. Um homem com mais de 30 anos e que nunca conseguiu emplacar um mangá que fosse, apesar de sua impressionante habilidade como desenhista. Me limitarei a comentar isso sobre eles por enquanto, teremos muitas outras oportunidades para tratar desses personagens.

O que importa nisso tudo é esse combo formado dentro do apartamento do Eiji e do que acontece lá dentro. Após alguns comentários, Eiji realiza que seu mangá corre realmente risco de ficar chato dentro de poucos capítulos, devido às críticas de Fukuda. Mashiro concorda e a partir de então ambos decidem ajudar Eiji a tornar o mangá melhor e tornar o próprio Eiji um mangaka melhor. O grande porém disso tudo é que eles são rivais, não deveriam estar se ajudando. Mas como no episódio anterior, há algo maior unindo aqueles três (quatro, se considerarmos o Nakai): a vontade de “revolucionar” a Jump, opa, quer dizer, Jack. Mudá-la para algo melhor.

Esse era o ponto em que eu queria chegar. Esse é o cenário que irá caracterizar a série a partir de agora. Esse é o espírito que envolverá esses autores. Eles irão competir entre si pelo primeiro lugar do ranking, mas farão tudo isso pensando em tornar a Jack uma revista ainda melhor. Episódio muito importante para o futuro.

Quero terminar o encontro dessa semana anunciando uma NOVIDADE para o Anikenkai. É algo que há muito tempo eu estava querendo fazer e pensando em como fazê-lo e finalmente agora vai sair do papel. Aguardem, não direi o que é ainda, mas sexta-feira, dia 04/02 será o dia do lançamento. Não deixem de conferir.

Até o próximo encontro…

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Olá a todos e bem vindos ao 16º encontro “O […]