Quando um manga pede um databook…

Um databook é um livro que contém informações sobre determinado mangá. Um autor que gosta bastante de databooks é Eiichiro Oda, autor de One Piece. Já tivemos, inclusive, databooks sendo vendidos aqui no Brasil, como Kenshin Kaden (Samurai X, Editora JBC), o “Volume 13” (Death Note, Editora JBC) e Love Hina Infinity (Love Hina, Editora JBC).

Enquanto alguns databooks são lançados sem necessidade e são puro caça-níquel, existem séries que pedem por um databook e não há nem sinal de um vindo por aí. Esse é o caso de Bakuman, da dupla Ohba/Obata. No mangá, nós acompanhamos a jornada de Moritaka Mashiro e Akito Takagi que, através do pseudônimo Ashirogi Muto, decidwm se tornar mangakas.

A série já conta com 96 capítulos (até o momento) e 9 volumes publicados. Nessas centenas de paginas, nós conhecemos vários personagens, conhecemos melhor como funciona o departamento editorial da Weekly Shonen Jump, nos são apresentados plots interessantíssimos de mangás que são publicados no universo do mangá e muito mais.

Uma enormidade de conteúdo que deixa os fãs cheios de vontade de saber mais. Só os personagens principais já criaram oito mangas! Sendo alguns deles interessantíssimos e que fazem os fãs ficarem loucos por não terem nada de concreto para ler sobre eles.

Uma série como essa pede por um databook. Um não, vários. Databooks detalhando os personagens, os “meta-mangás” (mangás dentro do mangá) e por aí vai. Eu compraria e tenho certeza que muitos outros fariam o mesmo. É só ver como foi um evento o lançamento do um one-shot especial na WSJ “Otters 11”, um dos mangás presentes em Bakuman.

Eu ainda tenho confiança de que muito em breve eles lançarão um databook de Bakuman… ou isso ou os fãs surtam de vez.

Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Um databook é um livro que contém informações sobre determinado […]