Summer Wars – A Perfeita União Entre o Antigo e o Novo

O primeiro filme de Mamoru Hosuda que eu assisti foi “Digimon: O Filme” por volta de 2001-2002. Lembro como adorei aquele filme e até hoje mantenho ele em DVD na minha coleção. O filme tinha tudo que uma criança poderia querer: muita ação, uma história inspiradora e um visual impressionante.  Hoje, oito anos depois, pego o mais recente filme do diretor para ver: Summer Wars.

Kenji Koiso é um menino de 17 anos que acaba indo passar as férias de verão na casa da família de Natsuki Shinohara, uma das garotas mais bonitas da escola e um ano mais velha que Kenji. Durante uma noite, o menino recebe um e-mail estranho cheio de números. Após decifrar o código, o envia de volta. Na manhã seguinte descobre que acabou ajudando um hacker a invadir os servidores de  “OZ”, um mundo virtual que se tornou extremamente popular no mundo e que é usado até por grandes corporações e pelo governo. Kenji acaba sendo acusado pelo crime e cabe a ele e à família de Natsuki se unirem para tentarem acabar com a ameça que está afetando o mundo real.

Essa sinopse que eu escrevi acima pode dar a idéia que Summer Wars nada mais é do que uma releitura do filme de Digimon, mas é muito mais que isso.

O diretor nos apresenta a personagens muito bem construídos e que participam de uma história que é ao mesmo tempo simples e grandiosa. Temos um filme com romance, ação, comédia e valores familiares misturados na medida certa. Para acompanhar o excelente roteiro, o estúdio Mad House fez um excelente trabalho na animação. O minucioso cuidado com os cenários nos deixa muito a vontade com as constantes mudanças de ambiente entre a casa no interior do Japão e o mundo virtual de “OZ”. O excelente character design dá vida e carisma aos excelentes personagens criados por Mamoru.

Porém, o que gostaria de destacar sobre esse filme, é como ele misturou com excelência coisas do passado com o presente e futuro. Para começar, o anime se passa na casa da família Shinohara, uma típica e gigantesca mansão feudal no meio das montanhas. Muito diferente do que estamos acostumados a ver em histórias que se passam no Japão moderno. Também nos é mostrado uma família unida que gosta de estar junta e tem orgulho de suas tradições e de seus antepassados. Mais uma vez um cenário pouco comum na agitada vida moderna da sociedade japonesa onde pais dormem nos trabalhos onde se mata para poder dar uma vida decente para sua família. Outro fator é a união de diferentes gerações. Adultos e crianças lutando juntos em igualdade por um bem maior.

Se isso já não fosse o bastante, a presença do Hanafuda, típico jogo de cartas japonês, exercendo um papel importante na história tanto no mundo real como no virtual veio para selar essa perfeita união entre o antigo e o novo. Em Summer Wars nós vemos que apesar de tudo ainda há lugar para valores tradicionais como união familiar, amor pelo próximo e espírito de luta.

Summer Wars é mais um excelente trabalho do diretor Mamoru Hosuda e é feito para agradar dos mais novos aos mais velhos, no melhor sentido que isso possa ter. Enquanto as crianças viajarão no mundo criado por ele e suas excelentes cenas de batalha, os mais velhos irão perceber a profundidade dos personagens e suas relações. Com certeza este figura entre a lista dos melhores filmes de animação que eu já vi e, se tiverem a oportunidade de assisti-lo, não deixem passar e poderão conferir por vocês mesmos a qualidade desse filme.


Sobre Diogo Prado

Tradutor, professor, host do Anikencast, apaixonado por quadrinhos, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

O primeiro filme de Mamoru Hosuda que eu assisti foi […]