Primeiras Impressões – Animes de Inverno 2017 – Parte 1

Como nem todos os animes que estrearam nessa temporada rendem posts individuais, vamos à algumas de uma só vez. Nessa primeira parte, falamos de Youjou Senji, Masamune-kun no Revenge, Minami Kamakura Koukou Joushi Jitensha-bu e Akiba’s Trip.


Akiba’S Trip The Animation – Direção: Hiroshi Ikehata – Roteiro: Kazuo Hiyoudou – Estúdio: Gonzo

Vamos deixar claro logo no começo que esse anime é sim voltado apenas para o fanservice e voltado quase que exclusivamente para o “otaku médio japonês”. Afinal, trata de um grupo de garotas que anda por Akihabara perseguindo “seres infectados” que só podem ser derrotados se tirarem a roupa deles… é… Assim sendo, ele já está bem fora do meu gosto pessoal e, por isso, teria que ter um algo a mais para me fazer continuar assistindo. Não tem. Desde o cretino jogo de palavras do título até a sequência de eventos segue bem a cartilha desse tipo de anime. Porém, se você curte ou está procurando por esse tipo de coisa, talvez tenha uma boa experiência com Akiba’S Trip, já que, pelo menos no que tange a animação e direção de arte geral, ele está muito bem feito. Só não é mesmo a minha praia.

Nota: 2 / 5


Minami Kamakura Koukou Joushi Jitensha-bu – Direção: Susumu Kudou – Roteiro: Kurasumi Sunayama – Estúdio: J.C.Staff

Anime de nicho feito para o nicho. É de todo ruim? Não necessariamente. Cenários lindíssimos que transparecem a paixão dos criadores pela cidade de Kamakura, mas seus personagens, pelo menos nesse primeiro impacto, parecem bem sem carisma e desinteressantes. Em uma série que claramente será focada na interação entre esses personagens, isso acaba ficando ainda pior. Se você só gosta de bicicletas, tem a 3a temporada de Yowamushi Pedal pra ver. Já Minami Kamakura Koukou Joushi Jitensha-bu só irá prestar se você quiser muito ver garotas fofinhas andando em bicicletas… e só pra isso.

Nota: 1.5 / 5


Youjou Senki – Direção: Yutaka Uemura – Roteiro: Kenta Ihara – Estúdio: NUT

Eu já sabia que ia ter dificuldades em aceitar que existe uma menininha com poderes mágicos lutando em meio a uma guerra que muito se assemelha à 1a Guerra Mundial. Porém, eu não estava esperando que seria uma outra menininha que me deixaria tão irritado, a subordinada da protagonista. Ela tem um character design que destoa completamente de tudo ao redor dela e isso joga pras cucuias a já frágil suspensão de descrença que esse anime exige de nós. Não só o design dela é ruim, mas toda a personalidade e o jeito dela. A protagonista pelo menos tem uma personalidade que condiz com o ambiente de guerra já ela… pelamordedeus.

Eu sei que garotas fofinhas + militares é algo que tá na moda, Girls und Panzer e Kantai Collection que o digam, mas essa série faz algo que esses dois não fazem: ela se leva a sério. E é exatamente esse o Calcanhar de Aquiles de Youjou Senki. Não é uma batalha em um mundo mágico onde seres fantásticos habitam e as regras do nosso mundo não necessariamente se aplicam, mas um mundo BEM próximo do nosso, com uma ambientação histórica BEM semelhante à nossa e com humanos “de verdade” morrendo “de verdade”! Se é pra se levar a sério, não dá pra dar um tiro errado desse.

MAS, vamos supor que você consiga sobreviver a isso. Consiga embarcar naquele mundo. O que ele te oferece? Violência e sadismo. Só isso. A protagonista é má por ser má. Ela não é patriota (como tentam jogar na nossa cara em diversos momentos desnecessariamente expositivos), ela só é sádica. Gosta de ver os outros sofrerem. É possível fazer uma série onde o protagonista é o vilão, claro. Porém, será que dá pra levar uma série inteira só com isso? Enfim, esse anime, definitivamente, não me cativou. Se você curtiu, me conta depois se ele realmente valeu a pena.

Nota: 2 / 5


Masamune-kun no Revenge – Direção: Mirai Minato – Roteiro: Michiko Yokote – Estúdio: SILVER LINK

Makabe era sacaneado em sua antiga escola por ser gordo e um riquinho mimado. Quando tentou confessar seu amor para uma de suas colegas de classe, Aki, ele foi rejeitado e ainda recebeu o nada carinhoso apelido de “pé de porco”. Traumatizado pelo ocorrido, Makabe decide perder peso e se renovar, tornando-se um dos garotos mais bonitos da cidade. Agora entrando em uma nova escola ele vive a vida sob a filosofia de que tudo “depende de você ser bonito ou não”.

Plot interessante, não? Dá pra render uma boa história, não? Pois é… dá, mas não foi assim que aconteceu. Ao entrar na nova escola, Makabe descobre que Aki também está ali e ela continua sendo uma menina escrota com outros meninos. Dando apelidos maldosos e revelando coisas pessoais deles em público. No decorrer de toda a primeira metade do episódio eu só conseguia me pegar pensando “que menina filha da p***”. Mas o Makabe não tá muito longe disso também. Afinal, agora que ele tá bonitão e magro, o que ele resolve fazer? Ele decide se vingar. Vai fazer a Aki se apaixonar por ele e, depois, vai rejeitá-la da forma mais cruel que ele puder pensar. Que gente legal!

Um protagonista difícil de gostar, um interesse romântico mais odioso ainda… será um anime e tanto, não? Pior é que dá pra ver que tem um bom potencial desperdiçado ali. O primeiro episódio tem momentos bem engraçados e os valores de produção estão bem bons até. Pena que jogaram tudo pelo ralo num plot de vingança besta com uma dupla (e talvez mais uma ou outra garota pra servir como alternativas para a Aki) desinteressante.

Nota: 2 / 5


Outras primeiras impressões da temporada de Inverno 2017:

Sobre Diogo Prado

Jornalista, tradutor, podcaster, amante de cinema, apreciador de jogos eletrônicos e precoce entendedor de animação japonesa.

Você pode me achar no twitter em @didcart.

Como nem todos os animes que estrearam nessa temporada rendem […]

  • geovane.link

    Bom , post …
    Eu vi apenas 3 dos 4 animes …
    Akiba Trip e anime para otaku médio ,tipo eu ,então vou ver mesmo não esperando nada tão grande …

    Youjou Senki foi um anime ” OK!” , mas não me empolgou muito nesse primeiro episodio alem do fato de que pulou toda a introdução … achei muito bestinha apesar de ser um anime sobre guerra .

    Masamune-kun no Revenge foi o que achei melhor desses o plot de vingança é batido , mas é outro anime que um otaku médio como eu vai gostar . Eu também achei a menina principalmente muito escrota … o protagonista é so ressentido .

    Essa temporada ate o momento teve poucas boas estreias … espero que melhore .

    Esperando outras primeiras impressões …

  • VítorVerde

    Yep, concordo plenamente (embora não vi o moe). Só lixo genérico ou apelativo sem maiores expressões artísticas. Que bom que existe Rakugo, porque se não… A propósito, já assistiu o primeiro episódio de Onihei, Diogo? Vai fazer primeiras impressões dele?

  • Lucas Batista

    Minami Kamakura Koukou Joushi Jitensha-bu não vi e nem pretendo.

    Masamune-kun no Revenge, gostei do primeiro episodio apesar de ser cliche não estou acostumando com o gênero ou tipo então para mim e novidade. De fato temo o problema em relação o que e falado do protagonista e não mostrado, também gostei do ritmo e do protagonista, quanto a garota não dei para criar um impatia por ela acredito que foi de proposito. Só resta saber por ela possui essa atitude por enquanto irem acompanhar.

    Youjou Senki me surpreendeu, pela ambientação e pelo peso da guerra que teve pelo menos nesse primeiro episodio, achei que seria sobre meninas fofinhas e toda a trama politica seria um pano de fundo esquecido pouco a pouco, mas aqui teve certo importância no plot alem do elemento de magia não soar tão espalhafatoso pois e algo que poucos podem usar e não e por muito tempo. Agora oque me intriga e como vão explicar oque duas garotinhas estão fazendo no meio da guerra e esse design totalmente bizarro que destoa do resto da obra.

    Akiba’S Trip The Animation achei engraçado, tudo soa tão idiota que fica bom, a animação foi bem feita na minha opinião, parece um daqueles animes que você assiste para se distrair.

  • Pedro Centurión

    Olha eu só vi Masamune-kun, mas pretendo olharo resto só de sacanagem. Por enquanto estou aproveitando a temporada pra colocar tudo de Monogatari em dia.